Israel assina acordo histórico com ex-rival; entenda

Emirados Árabes Unidos e Israel têm entre US$ 600 milhões e US$ 700 milhões em comércio bilateral

Emirados Árabes Unidos e Israel estabeleceram formalmente relações em 2020 como parte dos Acordos de Abraham mediados pelos EUA
Emirados Árabes Unidos e Israel estabeleceram formalmente relações em 2020 como parte dos Acordos de Abraham mediados pelos EUA 23/06/2021REUTERS/Amir Cohen

Da Reuters

Ouvir notícia

Israel e os Emirados Árabes Unidos concluíram negociações para um acordo de livre comércio, disseram o Ministério da Economia de Israel e o ministro do Comércio Exterior dos Emirados Árabes Unidos na sexta-feira (1º), após estabelecer formalmente laços em 2020.

Os Emirados Árabes Unidos e Israel têm entre US$ 600 milhões e US$ 700 milhões em comércio bilateral, disse o ministro da Economia dos Emirados Árabes Unidos, Abdulla Bin Touq Al Marri, em setembro.

Os Emirados Árabes Unidos e Israel estabeleceram formalmente relações em 2020 como parte dos Acordos de Abraham mediados pelos EUA, que também incluíam Bahrein e Marrocos.

O último acordo incluiu 95% dos produtos comercializados, que seriam isentos de alfândega, imediata ou gradualmente, incluindo alimentos, produtos agrícolas e cosméticos, além de equipamentos médicos e remédios, disse o Ministério da Economia israelense em comunicado.

O acordo inclui regulamentação, alfândegas, serviços, compras governamentais e comércio eletrônico e entrará em vigor quando assinado pelos ministros da economia dos países e ratificado, disse o comunicado, embora nenhum cronograma tenha sido dado. 

Uma declaração separada dos Emirados Árabes Unidos disse que o acordo reduziria ou removeria substancialmente as tarifas de uma ampla gama de bens, melhoraria o acesso ao mercado de serviços e promoveria os fluxos de investimento.

Também criaria mecanismos de expansão das pequenas e médias empresas.

“Este acordo histórico se baseará nos históricos Acordos de Abraham e consolidará uma das relações comerciais emergentes mais importantes e promissoras do mundo”, disse o ministro de Estado para Comércio Exterior dos Emirados Árabes Unidos, Thani Al Zeyoudi, no Twitter.

Mais Recentes da CNN