Israel mata 2 em confronto na Cisjordânia; palestino esfaqueia colono em ônibus

Região vive escalada de tensão e violência após atentado que deixou 5 colonos judeus mortos na semana passada

Colono judeu passa por bandeira de Israel em Givat Eviatar, perto de aldeia palestina na Cisjordânia ocupada
Colono judeu passa por bandeira de Israel em Givat Eviatar, perto de aldeia palestina na Cisjordânia ocupada REUTERS/Amir Cohen

Jeffrey HellerAli SawaftaNidal al-Mughrabida Reuters

Ramallah

Ouvir notícia

Forças israelenses mataram pelo menos dois palestinos nesta quinta-feira (31), disse o Ministério da Saúde palestino, em confrontos que eclodiram durante uma operação na Cisjordânia ocupada após ataques árabes letais em Israel.

Em outro incidente, um palestino esfaqueou um passageiro em um ônibus israelense perto de um assentamento judaico na Cisjordânia e foi morto a tiros por outro passageiro, disseram os militares israelenses.

O serviço nacional de ambulância afirmou que o homem que foi esfaqueado sofreu ferimentos moderados. Mais cedo, os militares israelenses disseram que suas forças e a polícia de fronteira entraram no campo de refugiados na cidade de Jenin para “prender suspeitos de terrorismo”.

“Durante a operação, os terroristas abriram fogo contra nossas forças. As tropas israelenses responderam ao fogo que atingiu os atiradores. Um soldado israelense ficou levemente ferido”, disseram os militares em comunicado.

O Ministério da Saúde palestino informou que dois palestinos, de 17 e 23 anos, foram mortos nos confrontos. O presidente palestino, Mahmoud Abbas, disse em um comunicado que “os ataques contínuos e as mortes diárias de nosso povo e os crimes diários dos colonos levarão a região a mais tensão e escalada”.

Na terça-feira (29), um atirador palestino da região de Jenin matou cinco pessoas no subúrbio de Tel Aviv de Bnei Brak antes de ser morto pela polícia. O tiroteio, condenado por Abbas, elevou para onze o número de pessoas mortas por agressores árabes em Israel na última semana.

Mais Recentes da CNN