Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Israel dá prazo para que reféns sejam entregues antes de expansão militar em Rafah

    Ministro do gabinete de guerra israelense afirmou que ataques serão intensificados na fronteira egípcia caso detidos pelo Hamas não sejam devolvidos até o Ramadã, em meados de março

    Palestinos deslocados, que fugiram de suas casas devido aos ataques israelenses, abrigam-se em um acampamento em Rafah
    Palestinos deslocados, que fugiram de suas casas devido aos ataques israelenses, abrigam-se em um acampamento em Rafah Ibraheem Abu Mustafa/Reuters (02.fev.24)

    Lauren IzsoMohammed Tawfeeqda CNN

    As forças israelenses expandirão as operações militares em Rafah se os reféns detidos pelo Hamas não forem devolvidos até o início do Ramadã, disse neste domingo (18) Benny Gantz, ministro do gabinete de guerra de Israel.

    Espera-se que o mês sagrado muçulmano comece em 10 ou 11 de março, e os comentários de Gantz parecem ser o prazo mais claro até agora para a ação militar israelense na cidade do sul da Faixa de Gaza, onde mais de 1 milhão de palestinos deslocados se refugiam perto da fronteira com o Egito.

    “O mundo deve saber, e os líderes do Hamas devem saber – se até o Ramadã os nossos reféns não estiverem em casa – os combates continuarão na área de Rafah”, disse Gantz numa reunião de organizações judaicas americanas em Jerusalém.

    “Faremos isso de forma coordenada, facilitando a evacuação de civis em diálogo com os nossos parceiros americanos e egípcios para minimizar as vítimas civis”.

    Israel disse que planeja expandir as suas operações terrestres para Rafah como parte do seu objetivo de destruir o Hamas após os ataques de 7 de outubro. Mas há uma preocupação crescente de que os cerca de 1,5 milhões de palestinos que ali se abrigam não tenham para onde ir.

    “Para aqueles que dizem que o preço é muito elevado, digo isto muito claramente: o Hamas tem uma escolha – pode render-se, libertar os reféns e os cidadãos de Gaza poderão celebrar o feriado sagrado do Ramadã”, disse Gantz.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original