Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Justiça britânica decide que Julian Assange não será extraditado para os EUA

    Juíza do Reino Unido decidiu que o fundador do WikiLeaks não será enviado aos EUA para enfrentar acusações de infringir leis de espionagem e conspiração

    Da CNN

    Uma juíza britânica decidiu, nesta segunda-feira (4), que o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, não deve ser extraditado para os Estados Unidos para enfrentar as acusações de infringir leis de espionagem e conspirar para hackear computadores do governo.

    Autoridades norte-americanas acusam Assange de 18 crimes relacionados à divulgação, pelo WikiLeaks, de documentos militares secretos e mensagens diplomáticas dos EUA.

    Leia também:
    Nancy Pelosi é reeleita para presidência da Câmara dos EUA
    Jornalista que revelou o Watergate diz que caso de Trump é ‘muito pior’
    Trump pediu ao secretário da Geórgia para ‘encontrar’ 11.780 votos, diz Post

    O fundador do WikiLeaks, Julian Assange
    O fundador do WikiLeaks, Julian Assange
    Foto: Reuters

    Os advogados de Assange argumentaram que o pedido de extradição teve motivação política, apoiada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

    Em sua decisão, a juíza Vanessa Baraitser afirmou que a extradição poderia representar um risco para a vida de Assange, que é australiano e tem 49 anos.

    “Decidi que a extradição seria opressiva e ordeno sua dispensa”, disse Vanessa.

    Apesar de considerar que Assange teria um “julgamento justo” em caso de extradição, a juíza afirmou que as “medidas administrativas especiais” que Assange provavelmente seria submetido teriam um grave impacto em sua saúde mental.

    Em sua sentença completa, Baraitser escreveu: “Aceito que a opressão como um obstáculo à extradição exige um alto limite… No entanto, estou convencida de que, nessas condições adversas, a saúde mental do Sr. Assange se deterioraria, levando-o a cometer suicídio”.

    “Acho que a condição mental do Sr. Assange é tal que seria opressor extraditá-lo para os Estados Unidos”, acrescentou ela.

    Destaques do CNN Brasil Business
    Perspectivas 2021: O dólar pode voltar para a casa dos R$ 4? Depende do governo
    Mapa do Emprego: Veja quais os setores em alta e como ficam os salários em 2021
    Com salto de 31%, fortuna dos mais ricos tem avanço histórico em ano de pandemia

    Os EUA disseram que vão recorrer da decisão.

    (Com informações de Claudia Rebaza e Kara Fox, da CNN, e Michael Holdem, da Reuters)