Justiça dos EUA determina que Trump entregue documentos sob pena de 10 mil dólares por dia

Documentos foram pedidos como parte da investigação da Procuradoria-Geral do estado de Nova York, que aponta omissões e fraudes financeiras na empresa do ex-presidente

Sonia MogheKara Scannellda CNN

Ouvir notícia

Um juiz de Nova York acusou Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos, de desacato civil depois que o gabinete da procuradora-geral do estado afirmar que ele não entregou documentos que integrariam a investigação sobre sua empresa.

O juiz Arthur Engoron disse que Trump não cumpriu sua ordem de cumprimento da intimação, e que seus advogados não mostraram como foi conduzida uma busca de materiais que estão com o ex-presidente.

Engoron disse que Trump seria multado em US$ 10.000 (cerca de R$ 48,9 mil) por dia até cumprir a intimação.

“Sr. Trump, eu sei que você leva seus negócios a sério, eu também levo os meus. Eu, por meio deste documento, o responsabilizo por desacato civil e multo-o por US$ 10.000 por dia até que você resolva esse desacato”, disse Engoron em uma audiência nesta segunda-feira (25).

O escritório da Procuradora-Geral de Nova York, Letitia James, vem investigando a Trump Organization há mais de dois anos.

As investigações apontaram que foram encontradas múltiplas declarações enganosas ou fraudulentas e omissões nas declarações financeiras da Trump Organization — que foram fornecidas a financiadores e seguradoras, entre outros.

Andrew Amer, falando em nome do escritório da procuradora-geral, disse que Trump não conseguiu entregar “nem mesmo um único documento de resposta” para uma intimação que lhe foi emitida em dezembro.

“Estamos sendo prejudicados em nossos esforços para ter um entendimento completo porque não temos provas da pessoa que se senta no topo da organização”, disse Amer.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN