Suprema Corte rejeita pedido republicano para anular votos na Pensilvânia

Decisão favorece o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden
Decisão favorece o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden Foto: Joshua Roberts - 25.nov.2020 / Reuters

Da Reuters

Ouvir notícia

A Suprema Corte dos Estados Unidos negou, nesta terça-feira (8), um pedido do Partido Republicano para descartar até 2,5 milhões de votos feitos pelo correio na Pensilvânia. A solicitação era uma tentativa de reverter a derrota do presidente Donald Trump nas eleições. Os juízes se recusaram a impedir o estado de formalizar a vitória do presidente eleito, Joe Biden. 

O tribunal, em uma ordem breve, rejeitou um pedido feito pelo congressista Mike Kelly, um aliado de Trump, e outros republicanos da Pensilvânia que entraram com uma ação após a eleição de 3 de novembro, argumentando que a expansão da votação pelo correio é ilegal segundo a lei estadual .

A Pensilvânia foi um dos estados principais na eleição, com Biden, um democrata, derrotando Trump lá depois que o presidente republicano ganhou o estado em 2016. Os funcionários do estado já haviam certificado os resultados da eleição.

Leia e assista também:

EUA: Biden anuncia três medidas de saúde para os 100 primeiros dias de governo

Biden revela equipe que vai liderar resposta à pandemia de Covid-19 nos EUA

Popularidade de Biden já é maior que a de Trump antes mesmo de assumir o cargo

Não houve dissidências notáveis ??de nenhum dos juízes da corte, que tem uma maioria conservadora de seis a três, incluindo três nomeados por Trump.

Trump pediu ao Senado, liderado pelos republicanos, que confirmasse sua nomeada mais recente, a juíza Amy Coney Barrett, antes da eleição, para que ela pudesse participar de qualquer caso relacionado à eleição.

Trump alegou falsamente que ganhou a eleição, fazendo afirmações infundadas sobre a fraude eleitoral generalizada em estados, incluindo a Pensilvânia. Democratas e outros críticos acusaram Trump de tentar reduzir a confiança do público na integridade das eleições nos Estados Unidos e minar a democracia ao tentar subverter a vontade dos eleitores.

Mais Recentes da CNN