Líder republicano no Senado propõe adiamento do impeachment de Trump

Mitch McConnell propõe adiar o julgamento de impeachment até fevereiro para que a equipe Trump possa se preparar

Por Manu Raju, Lauren Fox e Jeremy Herb, da CNN

Ouvir notícia

 

O líder da minoria no Senado americano, o republicano Mitch McConnell, propõe que a Casa dê à equipe jurídica do ex-presidente Donald Trump duas semanas para se preparar para o julgamento de impeachment assim que os senadores receberem o caso. Assim, o início processo seria adiado até meados de fevereiro.

A proposta de McConnell ao líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, lança ainda mais dúvidas sobre o momento do julgamento, embora ainda não se saiba se os democratas aceitariam o plano. Os democratas da Câmara ainda podem enviar o artigo sobre o impeachment ao Senado e iniciar o julgamento no dia seguinte.

Questionado se havia obtido resposta do líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, McConnell disse à CNN na quarta-feira: “ainda não, mas continuamos a falar sobre isso.”

 

Donald Trump fez o último discurso como presidente dos EUA a apoiadores
Donald Trump fez o último discurso como presidente dos EUA a apoiadores
Foto: Reprodução/CNN Brasil (20.jan.2021)

As negociações entre Schumer e McConnell sobre o julgamento de impeachment estão diretamente vinculadas aos esforços para obter os indicados do presidente Joe Biden confirmados e o acordo de divisão de poder do Senado finalizado, segundo fontes com conhecimento do assunto.

Schumer e os democratas não descartaram a ideia de adiar o julgamento, contanto que tentem chegar a um acordo para garantir votos aos indicados do Gabinete e finalizar um acordo sobre o acordo de divisão de poder que permitiria aos comitês do Senado se organizar.

Sem um acordo sobre a resolução de divisão de poder, o Partido Republicano ainda controlará os comitês sob as regras do último Congresso, quando o Partido Republicano manteve a maioria na câmara – algo que dá a McConnell vantagem nas negociações.

Em um comunicado, McConnell disse que deseja estruturar o julgamento para que as funções cerimoniais, como a leitura formal do artigo sobre o impeachment, ocorram na próxima semana, quinta-feira, 28 de janeiro.

Pelo plano de McConnell, Trump teria mais uma semana para responder ao envio do artigo, em 4 de fevereiro. Na semana seguinte, a equipe de Trump apresentaria um documento pré-julgamento, antes do início do proceso.

McConnell disse aos republicanos em uma teleconferência na quinta-feira que não tem pressa para iniciar o julgamento. O ponto do líder republicano é que a Câmara agiu rapidamente sobre o impeachment, mas o Senado precisa de tempo para se preparar para um julgamento completo.

“Neste momento de fortes paixões políticas, os republicanos do Senado acreditam que é absolutamente necessário não permitirmos que um processo incompleto prejudique o devido processo que o ex-presidente Trump merece ou prejudique o Senado ou a presidência”, disse McConnell em uma afirmação.

Embora a decisão sobre quando iniciar o julgamento caiba aos democratas, há razões pelas quais os democratas do Congresso – e a Casa Branca de Biden – podem ser passíveis de um adiamento do julgamento, pois daria ao Senado a chance de confirmar mais nomeados do Gabinete de Biden.

Mais Recentes da CNN