Impeachment de Trump precisa de pelo menos 17 votos republicanos no Senado


Da CNN, em São Paulo
14 de janeiro de 2021 às 11:50 | Atualizado 14 de janeiro de 2021 às 12:04


O processo de impeachment de Donald Trump passou na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, mas não deve ser aprovado com a mesma facilidade pelo Senado. A coordenadora do curso de Relações Internacionais da FAAP, Fernanda Magnotta, explicou o que é necessário para dar continuidade ao processo, em entrevista à CNN nesta quinta-feira (14).

"As perspectivas de que isso aconteça são muito baixas, seria necessário contar com o voto de todos os democratas no Senado, que estão perto de 50, e reverter 17 ou 18 republicanos, o que a princípio não parece o caso", analisa.

 

Fernanda Magnotta, coord. do curso de Relações Internacionais/FAAP (14.jan.2021)
Fernanda Magnotta, coordenadora do curso de Relações Internacionais da FAAP (14.jan.2021)
Foto: Reprodução/CNN


 Ela explica as motivações para o pedido após a invasão do Capitólio por apoiadores do presidente. "Os democratas estabeleceram essa estratégia de tentar um impeachment para dar uma resposta institucional: entendem que Trump precisa ser responsabilizado, não deixar que ele passa impune por esse ato, considerado um atentado contra a democracia americana, incitar à insurreição", diz. "Eles estão mirando no ponto de vista prático o que os favorece a longo prazo: a elegibilidade de Trump para 2024, pois, se sofrer o impeachment, não poderá concorrer. Sem contar os privilégios políticos que o isolariam, como (perder direito a) moradia e viagens", concluiu.

(Publicado por Leonardo Lellis)