Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Líderes da Espanha e Alemanha defendem acordo comercial entre UE e Mercosul

    Declarações ocorrem após França ter declarado ser contra medida, em meio a protestos de agricultores europeus

    Premiê da Espanha, Pedro Sánchez, faz declaração no Palácio de la Moncloa, em Madri
    Premiê da Espanha, Pedro Sánchez, faz declaração no Palácio de la Moncloa, em Madri 24/02/2022REUTERS/Jon Nazca/Pool

    Reuters

    O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, e o chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, saíram nesta quinta-feira em defesa de um acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul, após a França ter declarado ser contra e em meio a protestos de agricultores europeus que bloquearam estradas contra os altos custos e a importação de alimentos mais baratos.

    “Para a Espanha, o Mercosul é importante na relação econômica e geopolítica que devemos ter com um continente tão importante”, disse Sánchez a repórteres em Bruxelas.

    Scholz, por sua vez, declarou-se “um grande fã” de acordos de livre comércio, incluindo o possível tratado com o Mercosul.

    “Sou um grande fã de acordos de livre comércio e também do Mercosul”, disse o chanceler alemão em entrevista coletiva em Bruxelas, tomando posição diametralmente oposto à do presidente da França, Emmanuel Macron, que afirmou nesta semana que o acordo entre UE e Mercosul não deve seguir adiante.

    Na terça-feira, a Comissão Europeia rejeitou a visão francesa de que Bruxelas teria encerrado as negociações com o Mercosul, afirmando que ainda busca concluir um acordo de livre comércio com o bloco sul-americano formado por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

    (Reportagem de Inti Landauro e Sabine Siebold)