Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lviv luta para alimentar e abrigar 200 mil ucranianos deslocados, diz prefeito

    Em comunicado em vídeo, Andriy Sadovyi pediu centros móveis de permanência temporária com banheiros equipados e postos de alimentação para a cidade

    Hannah Ritchieda CNN

    Ouvir notícia

    O prefeito de Lviv disse, nesta terça-feira (8), que a cidade, localizada no oeste da Ucrânia, está lutando para fornecer comida e moradia para cerca de 200 mil ucranianos deslocados, que fugiram de partes do país devastadas pela guerra.

    “Cerca de 200 mil ucranianos já chegaram a Lviv. Mulheres, crianças, idosos, fugindo de bombardeios, foram forçados a fugir de suas casas. Nós acomodamos a todos, fornecemos comida e tudo o que for necessário”, disse o prefeito Andriy Sadovyi em um comunicado em vídeo.

    “Mas os trens estão vindo e os números estão crescendo”, acrescentou.

    Ele instou as organizações internacionais a fornecer ajuda “aqui em Lviv, na Ucrânia”.

    “Precisamos de centros móveis de permanência temporária com banheiros equipados e postos de alimentação. Apoio médico e psicológico, remédios, coletes à prova de balas e capacetes. Hospitais móveis para crianças e adultos”, disse.

    Em um comunicado separado, na segunda-feira (8), Sadovyi disse que a cidade estava atingindo o limite de sua capacidade. Cerca de 440 instalações culturais e educacionais em Lviv estão sendo usadas para abrigar pessoas deslocadas, juntamente com 85 edifícios religiosos, disse o gabinete do prefeito.

    Últimas notícias da guerra

    O Ministério de Defesa da Rússia informou, nesta terça-feira (8), que corredores humanitários foram abertos em cinco cidades ucranianas, entre elas a capital, Kiev. As forças russas afirmaram que interromperam os ataques nos locais das rotas por volta de 9 horas no horário local — 4 horas de Brasília.

    Além de Kiev, os corredores estão localizados em Sumy, Cherhihiv, Kharkiv e Mariupol.

    Autoridades do Ministério da Defesa da Ucrânia também confirmaram que o resgate em alguns dos corredores está acontecendo. Estudantes estrangeiros estão sendo levados de Sumy para Poltava.

    A chefe de direitos humanos da ONU, Michelle Bachelet, pediu nesta terça-feira que os civis presos possam sair em segurança. “Repito meu apelo urgente para um fim pacífico das hostilidades”, declarou.

    Destaques das últimas 24 horas

    • ONU diz que número de refugiados da guerra chega a 2 milhões
    • Cessar-fogo em cinco cidades permite retirada de civis em corredores humanitários
    • Ataque em prédio residencial em Sumy na noite de segunda-feira (7) deixa dezenas de mortos
    • Terceira rodada de negociações acaba com um “pequeno avanço” em relação aos corredores humanitários
    • Rússia pede retorno à ‘coexistência pacífica’ com os EUA, como durante a Guerra Fria
    • Embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, disse que “está claro que Putin tem um plano para destruir a Ucrânia”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN