Maduro diz que não negociará com a oposição até que aliado seja libertado

Alex Saab é acusado por promotores norte-americanos de lavagem de dinheiro.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro Foto: Manaure Quintero - 12.mar.2020 / Reuters

Reuters

Ouvir notícia

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, disse neste domingo (21) que não haverá novas negociações com políticos da oposição até que “o sequestro” de um importante representante do governo, Alex Saab, extraditado para os Estados Unidos, chegue ao fim.

No mês passado, o governo da Venezuela retirou-se das negociações com a oposição, iniciadas em agosto, no México, após a extradição de Saab. O empresário colombiano é acusado por promotores norte-americanos de lavagem de dinheiro.

“Ainda não há condições para reiniciar (o diálogo)”, disse Maduro a jornalistas após votar nas eleições regionais de domingo. Promotores americanos dizem que a Saab desviou cerca de US$ 350 milhões da Venezuela por meio dos EUA como parte de um esquema de suborno vinculado à taxa de câmbio controlada pelo governo venezuelano.

Os aliados de Maduro dizem que as acusações contra a Saab são parte de uma guerra econômica dos EUA contra a Venezuela.

A oposição, que conta com o apoio dos EUA,  disse que Saab se enriqueceu por meio de acordos comerciais com o governo e não fez nada para aliviar o sofrimento dos venezuelanos.

Saab se declarou inocente de lavagem de dinheiro, de acordo com um documento judicial apresentado em 15 de novembro no Tribunal Distrital do Distrito Sul da Flórida.

(Reportagem de Vivian Sequera Escrita de Oliver Griffin; edição de Diane Craft)

Mais Recentes da CNN