Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Marca ucraniana Milla Nova confecciona vestidos de noiva e coletes militares

    Funcionárias tricotam redes militares e costureiras fazem moletons de lã e coletes com camuflagem tradicional do exército

    Vestido e roupa do exército feitas pela Milla Nova
    Vestido e roupa do exército feitas pela Milla Nova Divulgação/Milla Nova

    Sinclair Scottda CNN

    A marca de moda ucraniana Milla Nova, conhecida por seus vestidos de noiva decadentes, está produzindo roupas para os soldados e os médicos do país em meio aos ataques russos ao país.

    Abastecidos em boutiques de noivas em 50 países, incluindo Estados Unidos, Reino Unido, França e China, os funcionários da Milla Nova têm trabalhado nas últimas duas semanas para atender pedidos de vestidos internacionais, além de fabricar essas roupas adicionais.

    “Além de deixar as noivas em todo o mundo felizes, estamos focados em salvar nosso país”, disse a CEO da empresa, Ulyana Kyrychuk, que se mostra determinada a continuar sustentando o negócio, apesar dos muitos desafios da guerra.

    Fotos de Milla Nova compartilhadas com a CNN mostram profissionais tricotando redes militares e costurando moletons de lã e coletes com camuflagem tradicional do exército.

    Costura de roupas militares / Divulgação/Milla Nova

    Trabalhando com sua rede de fornecedores, a marca conseguiu obter rapidamente os materiais necessários para a produção. Kyrychuk disse à CNN que eles já fizeram 1.500 itens.

    Kyrychuk disse que começou a colocar uma série de planos em prática antes da invasão da Ucrânia pela Rússia e está focada em apoiar sua equipe, explicando que cada decisão que ela toma é “com as pessoas em mente”.

    Muitos funcionários estão fazendo longas viagens por Lviv, onde a empresa está sediada, para chegar às fábricas —trabalhando horas extras para ajudar a fazer as roupas para apoiar os esforços de defesa da Ucrânia, além de suas tarefas regulares. Kyrychuk confirmou que todos os funcionários foram pagos em fevereiro e sua equipe de gerenciamento está trabalhando “ininterruptamente para organizar os processos de negócios e pagar nosso pessoal”.

    “Meu principal objetivo como executiva é proteger as pessoas e garantir seu amanhã”, disse ela, acrescentando que eles também estão prontos para aceitar novos funcionários do leste da Ucrânia que se tornaram refugiados recentemente.

    A Milla Nova emprega atualmente 600 trabalhadores. Aqueles baseados em Lviv tiveram a opção de ir para a vizinha Polônia, onde uma oficina improvisada foi montada em Varsóvia após a invasão. Até agora, 70 funcionários foram evacuados para a capital polonesa. Cerca de 450 funcionários permanecem em Lviv, enquanto outros fizeram seus próprios planos de fugir para o campo ou para fora da Ucrânia. Com uma força de trabalho de 98% de mulheres, muitas das quais mães, a realocação pela empresa envolveu muitas crianças pequenas.

    As costureiras na Polônia estão costurando vestidos de edição especial com temas da Ucrânia em amarelo e azul, e alguns de seus filhos se envolveram na confecção desses vestidos como forma de elevar o moral. Kyrychuk disse que o plano é vendê-los como NFTs (tokens não fungíveis) para arrecadar fundos de caridade para a Ucrânia. Ela espera que eles possam eventualmente mudar seus esforços das necessidades do exército para a reconstrução de cidades destruídas.

    Kyrychuk disse estar “tão orgulhosa” de sua equipe e de sua “incrível dedicação e lealdade”, apontando para o importante papel das mulheres na guerra que devem cuidar e proteger, “orar e acreditar”.

    Costura de vestidos com a cor da bandeira da Ucrânia / Divulgação/Milla Nova

     

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original