Maya Angelou se torna a primeira mulher negra a ser homenageada em moeda nos EUA

Escritora e ativista será representada na estampa da moeda de 25 centavos

Maya Angelou recebe a homenagem na campanha American Women Quarters da Casa da Moeda dos Estados Unidos
Maya Angelou recebe a homenagem na campanha American Women Quarters da Casa da Moeda dos Estados Unidos Riccardo S. Savi/Wire Image/Getty Image

Kanishka Singhda Reuters

Ouvir notícia

A Casa da Moeda dos Estados Unidos realizou uma homenagem à escritora e ativista norte-americana Maya Angelou, que se tornou a primeira mulher negra a aparecer na moeda.

A moeda faz parte da campanha American Women Quarters, que também inclui Anna May Wong, a primeira estrela de cinema sino-americana de Hollywood, disse a Casa da Moeda dos Estados Unidos na segunda-feira (10).

Maya Angelou em estampa na moeda de 25 centavos dos Estados Unidos / Burwell and Burwell Photography

Angelou ganhou destaque internacional após a publicação de sua autobiografia inovadora, “Eu sei porque o pássaro canta na gaiola” (I Know Why the Caged Bird Sings, em inglês), com seu relato inabalável de estupro e racismo no segregamento da região sul dos EUA.

Aos 7 anos, Angelou foi estuprada pelo namorado de sua mãe, que mais tarde foi espancado até a morte em um ataque que alguns acreditavam ter sido realizado por seus tios. O trauma do estupro e a morte de seu agressor deixaram Angelou muda por seis anos. Ela começou a escrever durante esse período em silêncio. Ela morreu em 2014, aos 86 anos. A prolífica escritora afro-americana era conhecida por sua prosa lírica e voz régia.

“Cada vez que redesenhamos nossa moeda, temos a chance de dizer algo sobre nosso país –o que valorizamos e como progredimos como sociedade”, disse a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, em comunicado.

“Estou muito orgulhoso de que essas moedas celebrem as contribuições de algumas das mulheres mais notáveis ​​da América, incluindo Maya Angelou.”

A ativista foi responsável por ler o poema “No pulso da manhã” (On the Pulse of Morning, em inglês) na posse de 1993 do ex-presidente Bill Clinton. A leitura de Angelou marcou a primeira vez que uma mulher afro-americana escreveu e apresentou um poema em uma posse presidencial.

Em 2010, o então presidente Barack Obama concedeu a Angelou a Medalha Presidencial da Liberdade, e ela recebeu em 2013 o Literarian Award, um prêmio honorário do National Book Award por contribuições à comunidade literária.

O programa American Women Quarters também apresenta Wilma Mankiller, a primeira chefe principal feminina da Nação Cherokee, Adelina Otero-Warren, líder do movimento sufragista do Novo México e Sally Ride, astronauta e física que foi a primeira mulher americana no espaço.

Mais Recentes da CNN