Meghan Markle espera que qualquer família se sinta representada em seu livro

A Duquesa disse que "crescendo, eu me lembro muito de como era não se ver representada" e quer que seu livro, "The Bench", mude isso para futuras gerações

Meghan Markle, Príncipe Harry e o primeiro filho do casal, Archie
Meghan Markle, Príncipe Harry e o primeiro filho do casal, Archie Foto: Pool/Samir Hussein/WireImage via Getty Images

Sheena McKenzie, da CNN

Ouvir notícia

Meghan Markle, a duquesa de Sussex, disse que espera que “qualquer família” se veja representada nas páginas de seu livro infantil, “The Bench”, em sua primeira entrevista desde que falou com a apresentadora Oprah Winfrey em março.

A Duquesa disse que “crescendo, eu me lembro muito de como era não se ver representada”, em uma entrevista para Samantha Balaban da National Public Radio (NPR). 

“Portanto, quero que esse livro alcance qualquer criança ou família pode abrir este livro e se ver nele, seja uma criança de óculos ou sardenta, ou que tem uma forma corporal diferente ou uma etnia ou religião diferente”, disse Meghan.

Enquanto o livro abre e termina com representações da família de Meghan, há uma grande variedade de pais e filhos descritos ao longo da história.

“Essa história que escrevi para meu marido e filho pode realmente ser a sua história também”, disse ela à série de livros infantis da estação de rádio, “Picture This”.

No início deste ano, Meghan e seu marido, o Príncipe Harry, iniciaram uma conversa acalorada sobre o racismo, os tabloides britânicos e a família real após sua entrevista bombástica com Winfrey.

 

Momentos de silêncio

O livro de Meghan foi publicado no mês passado.

É inspirado no Príncipe Harry e seu filho Archie Harrison, e é sobre as relações entre pais e filhos, retratadas em momentos de silêncio passados em bancos.

Meghan disse que “especialmente no ano passado”, com uma pandemia global de pano de fundo, que “muitos de nós percebemos o quanto acontece no silêncio”.

“Então, nessa história, estou observando esse amor entre meu marido e nosso filho e imaginando o que será à medida que eles tiverem mais momentos compartilhados à medida que nosso filho ficar mais velho”, disse ela. “De uma lesão no joelho a um coração partido, seja o que for, que eles sempre se sentem neste banco e tenham este momento para se unir”, acrescentou Meghan.

O livro surgiu de um poema e banco que Meghan deu a Harry em seu primeiro Dia dos Pais. A entrevista, que vai ao ar no domingo, marca o segundo Dia dos Pais do casal.

Foi gravado antes do nascimento de sua segunda filha, Lilibet Diana, que nasceu no início deste mês.

A filha deles recebeu o nome de sua bisavó, Sua Majestade, a Rainha, cujo apelido da família é Lilibet. Seu nome do meio, Diana, foi escolhido em homenagem a sua falecida avó.

Meghan disse que o premiado ilustrador Christian Robinson incluiu pequenos detalhes no livro que seu filho Archie iria perceber, e acenos sutis para a falecida princesa Diana.

“Eu acho que você pode encontrar pequenos momentos doces que guardamos lá — da minha flor favorita, até mesmo a flor favorita da mãe do meu marido, os miosótis,” disse Meghan.

“Queríamos ter certeza de que eles fossem incluídos ali. Há muitos, muitos detalhes especiais e amor que entraram neste livro”, acrescentou ela.

Harry e Meghan se casaram em um casamento luxuoso na Capela de St. George em Windsor, na Inglaterra, três anos atrás.

Eles se afastaram de seus papéis como altos funcionários da realeza no ano passado, renunciando a seus títulos de HRH, e agora vivem em Santa Bárbara, Califórnia.

(Texto traduzido, leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN