Membro de “Rust” processa Alec Baldwin e outros envolvidos na produção do filme

Este é o segundo processo de um membro do filme contra Alec Baldwin e membros da produção; diretora foi morta após disparo acidental em set

supervisora ​​do roteiro de "Rust", Mamie Mitchell, fala durante uma coletiva de imprensa em 17 de novembro de 2021, em Los Angeles
supervisora ​​do roteiro de "Rust", Mamie Mitchell, fala durante uma coletiva de imprensa em 17 de novembro de 2021, em Los Angeles Rodin Eckenroth/Getty Images

Stephanie Becker e Aya Elamroussida CNN

Ouvir notícia

A supervisora de roteiro de “Rust“, Mamie Mitchell, abriu um processo contra o ator e produtor Alec Baldwin e outras figuras da produção pelas filmagens no set que mataram a diretora de fotografia do filme.

O processo, que foi aberto em Los Angeles, acusa Baldwin de escolher “jogar roleta russa quando disparou uma arma sem checá-la e sem que o armeiro a checasse em sua presença”, disse a advogada de Mitchell, Gloria Allred, na quarta-feira (17) durante uma entrevista coletiva.

A ação ocorre depois que Baldwin disparou uma arma – durante uma gravação – que continha uma bala de chumbo, matando a cineasta Halyna Hutchins e ferindo o diretor Joel Souza. Baldwin disse acreditar que a arma não tinha balas reais, de acordo com documentos do tribunal.

“Alec Baldwin deveria ter presumido que a arma em questão estava carregada, a menos e até que fosse demonstrado a ele ou verificado por ele que não estava carregada”, afirma o processo.

Além de Baldwin, o processo nomeia a produtora do filme, Rust Movie Productions, LLC, a armeira Hannah Gutierrez Reed, o diretor assistente David Halls e outros membros da produção. Allred disse que a equipe de produção do filme falhou em seguir os procedimentos, criando um ambiente onde “ferimentos e morte eram mais do que uma possibilidade, eram um resultado provável”.

Gutierrez Reed é acusada no processo de Mitchell de permitir que a arma fosse deixada sem vigilância durante uma pausa para o almoço em um carrinho fora do prédio onde o tiroteio ocorreu, no set de filmagem em Novo México.

Os advogados de Reed disseram que ela está arrasada e com o coração partido pela tragédia e cooperando com a investigação.

Mitchell está buscando uma compensação financeira porque “ficou chocada, traumatizada e … sofreu danos físicos e emocionais por causa do que viu, ouviu e experimentou quando estava na linha de fogo”, disse Allred durante a entrevista coletiva.

O supervisor de roteiro, um veterano da indústria de 40 anos, não trabalhou desde as filmagens.

Alec Baldwin no set de filmagens de “Rust” / Foto: Reprodução/Instagram

Segundo processo

O Gabinete do Xerife de Santa Fé está investigando o tiroteio e ainda não divulgou nenhuma descoberta. O processo de Mitchell segue um processo semelhante aberto na semana passada pelo técnico de iluminação principal de Rust, Serge Svetnoy, que processou Baldwin, Halls, Gutierrez Reed e outros réus por negligência que lhe causou “grave sofrimento emocional”.

A CNN entrou em contato com a produtora, representantes da Baldwin, Halls e Gutierrez Reed para comentar.
Baldwin disse anteriormente que está cooperando com os investigadores, acrescentando que está ansioso para saber mais sobre os resultados da investigação. Ele disse que as autoridades o instruíram a não falar sobre a investigação em andamento.

E a Rust Movie Productions, LLC disse que a segurança do elenco é “a maior prioridade”.

“Embora não tenhamos sido informados de nenhuma reclamação oficial relativa à segurança de armas ou propulsores no set, estaremos conduzindo uma revisão interna de nossos procedimentos enquanto a produção for encerrada”, disse a empresa.

Mitchell descreve momento de tiro em ação judicial

Mitchell disse que estava perto de Hutchins e Souza quando o tiro foi disparado e foi a primeira a ligar para a emergência pedindo ajuda no dia 21 de outubro, dizendo a eles: “Precisamos de ajuda imediatamente.”

Ela descreveu o momento em que o tiroteio aconteceu enquanto lia uma declaração preparada durante a entrevista coletiva na quarta-feira.

“Um tiro alto e ensurdecedor. Fiquei atordoada. Ouvi alguém gemendo, me virei e meu diretor estava caindo para trás e segurando a parte superior do corpo e me virei na direção de Alec e vi Halyna descendo à minha esquerda”, disse Mitchell.

O processo de Mitchell disse que Halls entregou a arma a Baldwin antes de ser disparada. Um depoimento de mandado de busca apresentado no mês passado disse que Halls gritou “arma fria”, o que significa que as armas não tinham cartuchos reais, antes de entregar a arma a Baldwin.

Mas no início deste mês, a advogada de Halls, Lisa Torraco, disse à Fox News que não era trabalho de Halls verificar a arma.

“Ele não é responsável por verificar … Isso não é função do diretor assistente. Se ele decidir verificar a arma porque quer ter certeza de que todos estão seguros, ele pode fazer isso, mas não é sua responsabilidade”, disse Torraco.

O processo de Mitchell aponta para Baldwin por não verificar a arma antes de usá-la. “Ele não tinha o direito de se basear em alguma alegada declaração do Subdiretor de que era uma ‘arma fria'”, afirma o processo, referindo-se a Baldwin.

Allred, o advogado de Mitchell, acrescentou que Baldwin disparou inesperadamente a arma, embora nenhum ensaio tenha sido agendado naquele momento – observando que mesmo que estivessem filmando a cena, não incluía o disparo de uma arma.

Sandra Gonzalez, da CNN, contribuiu para esta reportagem.

(Texto traduzido, leia original em inglês aqui)

Mais Recentes da CNN