Mianmar: conflitos entre forças de segurança e moradores deixam 20 mortos

Confronto aconteceu na madrugada deste sábado (5) em Hlayswe, cerca de 150 km de Yangon, maior cidade do país. Informações de mortes são da imprensa local

Posto de controle montado por militares no caminho para o complexo do Congresso de Mianmar em Naypyitaw, depois de golpe militar que derrubou a líder eleita do país, Aung San Suu Kyi
Posto de controle montado por militares no caminho para o complexo do Congresso de Mianmar em Naypyitaw, depois de golpe militar que derrubou a líder eleita do país, Aung San Suu Kyi Foto: Stringer/Reuters (4/02/2021)

Reuters

Ouvir notícia

Forças de segurança de Mianmar entraram em conflito com moradores armados com catapultas e bestas durante uma busca por armas na região do delta do rio Ayeyarwady neste sábado (5). A imprensa local publicou que pelo menos 20 pessoas foram mortas.

O noticiário da televisão estatal afirmou que três “terroristas” foram mortos e dois acabaram presos no vilarejo de Hlayswe quando forças de segurança foram apreender um homem acusado de conspiração contra o Estado.

Um porta-voz da junta militar não respondeu aos pedidos da Reuters por comentários sobre a violência no vilarejo do município de Kyonpyaw da região Ayeyarwady. A Reuters não pôde confirmar a contagem de maneira independente.

O exército tem sofrido para impor controle desde que derrubou a líder eleita Aug San Suu Kyi após uma década de reformas democráticas que haviam aberto um Estado que já fora isolado.

Uma reunião entre o líder da junta Min Aung Hlaing e enviados da Associação de Países do Sudeste Asiático (ASEAN) na sexta-feira (4) motivou irritação em partes de Mianmar neste sábado. Chegaram a colocar fogo em uma bandeira da Associação em Mandalay, segunda cidade mais populosa do país.

Os conflitos começaram antes do amanhecer de sábado em Hlayswe, cerca de 150 km ao noroeste da principal cidade Yangon, para onde soldados disseram que foram em busca de armas, segundo pelo menos quatro veículos de imprensa e um morador.

Tópicos

Mais Recentes da CNN