Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Milei chama presidente colombiano de “comunista assassino” e detona crise diplomática

    A Colômbia convocou seu embaixador para consultas imediatas

    Luciana Taddeopara a CNN Brasil

    O presidente da Argentina, Javier Milei, chamou o presidente colombiano, Gustavo Petro, de “comunista assassino”, detonando uma crise diplomática entre os países.

    Em comunicado, o ministério das Relações Exteriores da Colômbia protestou, nesta sexta (26), contra as declarações “desrespeitosas e irresponsáveis” do argentino e chamou para consultas “de maneira imediata” seu embaixador Camilo Romero.

    As declarações de Milei foram dadas à jornalista Patricia Janiot, famosa apresentadora colombiana-americana, nesta quinta (25). Na entrevista, Milei definiu Petro como um “comunista assassino que está afundando a Colômbia”, o chileno Gabriel Boric como “alguém que tem as ideias incorretas” e o presidente de El Salvador Nayib Bukele como “alguém que apesar da adversidade conseguiu levar a cabo seu programa de governo”.

    “O governo da Colômbia rejeita energeticamente essa declaração, que atenta contra a honra do primeiro mandatário, que foi eleito de forma democrática e legítima. As palavras do Presidente Milei desconhecem e vulneram os profundos laços de amizade, entendimento e cooperação que historicamente uniram a Colômbia e a Argentina”, diz o comunicado de protesto da chancelaria colombiana.

    O texto diz ainda que como “consequência das circunstâncias criadas pelas palavras” de Milei, o governo colombiano chama de forma “imediata” para consultas seu embaixador Camilo Romero, representante da Colômbia na Argentina..

    Petro, primeiro presidente de esquerda da Colômbia, foi prefeito de Bogotá e Senador. Nos anos 1980, ele integrou o Movimiento 19 de Abril, conhecido como M-19, guerrilha armada, e chegou a ser preso por porte ilegal de armas em 1985.