Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Milhares protestam na Alemanha exigindo solidariedade em ajuda energética

    Europa sofre com crise energética devido aos conflitos entre Rússia e Ucrânia

    Manifestantes marcham para exigir mudança contínua para fontes de energia renováveis e redução da dependência de combustíveis fósseis, em 22 de outubro de 2022 em Berlim, Alemanha
    Manifestantes marcham para exigir mudança contínua para fontes de energia renováveis e redução da dependência de combustíveis fósseis, em 22 de outubro de 2022 em Berlim, Alemanha Maja Hitij/Getty Images

    Reuters

    Dezenas de milhares de manifestantes em seis cidades alemãs se reuniram neste sábado (22) para exigir uma distribuição mais justa de fundos governamentais para lidar com o aumento dos preços da energia e do custo de vida e uma transição mais rápida dos combustíveis fósseis.

    Manifestantes marcharam em Berlim, Duesseldorf, Hannover, Stuttgart, Dresden e Frankfurt-am-Main, segurando cartazes com slogans sobre tudo, desde reduzir a inflação até desligar a energia nuclear e mais subsídios aos preços da energia para os pobres.

    Cerca de 24 mil pessoas participaram, segundo o Greenpeace, um dos organizadores. A polícia disse que cerca de 1.800 manifestantes se reuniram em Berlim.

    “Queremos mostrar que precisamos urgentemente de ajuda financeira para os cidadãos que sejam socialmente equilibrados. O governo está fazendo muito, mas está distribuindo fundos com um regador. As pessoas de baixa renda precisam de mais apoio do que os ricos”, disse Andrea Kocsis, vice-presidente do ver.di, um dos sindicatos que organizam os protestos.

    O parlamento da Alemanha aprovou na última sexta-feira (21) o pacote de resgate de 200 bilhões de euros (195 bilhões de dólares) do governo, que visa proteger empresas e famílias do impacto da alta dos preços da energia.

    O pacote inclui um pagamento único para cobrir uma conta mensal de gás para residências e pequenas e médias empresas e um mecanismo para limitar os preços a partir de março.

    Também financiará um teto de preços de eletricidade para residências e indústria retroativamente a partir de março para preços à vista e de dezembro para preços futuros, com financiamento adicional obtido dos lucros das empresas de eletricidade.

    A inflação alemã em setembro atingiu seu nível mais alto em mais de um quarto de século em 10,9%, impulsionada pelos custos de energia mais altos.

    “Eu acharia melhor se distribuíssemos de forma mais justa. Há milionários dizendo que querem pagar mais impostos. Não estou vendo nada acontecendo nessa frente”, disse Ulrich Franz, manifestante em Berlim.