Morre jornalista que foi baleada enquanto cobria protestos do 1º de Maio no Chile

Francisca Sandoval estava trabalhando quando foi atingida por um disparo; ela ficou 12 dias hospitalizada

Jornalista foi baleada enquanto cobria protestos do 1º de Maio no Chile
Jornalista foi baleada enquanto cobria protestos do 1º de Maio no Chile Reprodução Canal 3 La Victoria / Instagram

CNN Chile

Ouvir notícia

A jornalista Francisca Sandoval, baleada enquanto cobria a marcha do Dia do Trabalhador, em 1º de Maio, morreu após ter ficado quase duas semanas internada no Hospital de Emergência da Assistência Pública, no Chile.

A profissional do “Canal 3 de La Victoria”, do Chile, foi baleada no bairro Meiggs. Atualmente, há um suspeito, Marcelo Naranjo, que está em prisão preventiva pelo crime de homicídio.

Em uma publicação, o canal declarou: “Francisca não nos deixou. Eles a assassinaram. Com estas palavras confirmamos o falecimento da nossa amada Fran. Sentiremos sua falta e faremos tudo o que pudermos para encontrar a verdade.”

No Twitter, a prima de Francisca, Jenny Monsalve, pediu “respeito para lidar com a dor”. Ela também exigiu justiça pela morte de sua parente.

Para nuestra Panchita, un beso al infinito y el descanso que necesita su alma.
Para nuestra familia, pido al Señor que nos dé fuerza para sobrellevar esta situación y el respeto que necesitamos para sobrellevar el dolor.
Para nuestra prima Francisca Sandoval exigimos Justicia.

— Jenny Monsalve (@juanyper) May 12, 2022

O chefe da UTI do hospital, Daniel Rodríguez, destacou que a lesão foi muito agressiva e causou uma hemorragia cerebral, levando a um ataque cardíaco em quase todo o hemisfério direito e, posteriormente, a um edema cerebral.

Os médicos da unidade de saúde explicaram que a paciente, após 12 dias internada, não apresentou melhora neurológica e evoluiu para falência de múltiplos órgãos — o que a levou à morte.

 

Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

versão original

Mais Recentes da CNN