Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Museu de Auschwitz condena vídeo de partido nacionalista polonês usando imagens do local

    Objetivo da filmagem seria desencorajar pessoas de comparecerem a um ato da oposição que acontecerá em Varsóvia neste domingo (4)

    Alan CharlishPawel Florkiewiczda Reuters

    Um vídeo do partido nacionalista governista da Polônia Lei e Justiça (PiS) que usa imagens do campo de extermínio alemão nazista de Auschwitz é um insulto para aqueles que perderam suas vidas lá, disse nesta quarta-feira o museu que preserva o local.

    O pequeno vídeo, que o partido postou nas redes sociais, tem como objetivo desencorajar as pessoas de comparecerem a um ato da oposição que acontecerá em Varsóvia neste domingo (4).

    A resposta se refere a um tuíte do proeminente crítico do governo e ex-editor da Newsweek polonesa, Tomasz Lis, que disse que “uma câmara” será encontrada para o líder do PiS, Jaroslaw Kaczynski, e o presidente aliado do PiS, Andrzej Duda.

    Tendo como pano de fundo o notório portão “Arbeit macht frei” (“o trabalho liberta”) e uma imagem do tuíte de Lis, o vídeo pergunta: “Você realmente quer marchar sob este slogan?”.

    Desde então, Lis se desculpou pelo tuíte, mas disse que suas palavras foram mal interpretadas e que ele pretendia escrever “uma cela”.

    O Museu e Memorial Auschwitz-Birkenau, que preserva o campo de extermínio de Auschwitz montado em solo polonês pela Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial, condenou a publicação.

    “A instrumentalização da tragédia de pessoas que sofreram e morreram no campo nazista alemão de Auschwitz em ambos os lados da disputa política é um insulto à memória das vítimas”, disse o museu no Twitter.

    “É uma manifestação triste, dolorosa e inaceitável da corrupção moral e intelectual do debate público.”

    Um porta-voz do governo não pôde ser imediatamente contatado para comentar.