Na Expo Dubai, Mourão afirma que Brasil se dedica à sustentabilidade

Vice-presidente diz que país quer mostrar imagem de preocupação com o meio ambiente

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Depois de inaugurar nesta sexta-feira (1º) o pavilhão do Brasil na Expo Dubai 2020, o vice-presidente, Hamilton Mourão, afirmou que o país quer mostrar que está comprometido com a sustentabilidade.

“O Brasil quer mostrar que é uma nação dedicada ao tema principal do século 21, que é a sustentabilidade. A sustentabilidade faz parte daquilo que é um dos pilares da civilização, que é o pacto de gerações. Ou seja, mantermos a vida na terra da mesma forma que nós recebemos e, assim, passarmos para nossos filhos e netos”, disse Mourão.

“O Brasil é um país que produz energia limpa, que tem mais de 60% do seu território coberto por vegetação original, que tem know-how em combustíveis limpos. É essa a imagem que nós queremos deixar muito clara.”

A expectativa é que 25 milhões de pessoas — mais do que o dobro da população dos Emirados Árabes Unidos, que sedia a feira  — visitem os pavilhões durante o funcionamento da edição.

Atrasada em um ano devido à pandemia da Covid-19, a Expo exigirá, este ano, comprovante de vacinação ou teste negativo para Covid-19 realizado nas últimas 72 horas.

Tradição do século XIX

A tradição de juntar os países num só lugar teve início no século XIX. A primeira grande exposição foi em 1851, em Londres. Era exibida a última palavra em maquinário, num mundo ainda sob impacto da Revolução Industrial. Com o passar dos anos, a tecnologia sempre esteve por trás da Expo.

Em 1876, na Filadélfia, Estados Unidos, o telefone era apresentado ao mundo e, também, a um ilustre visitante: Dom Pedro II.

A Torre Eiffel nasceu para uma expo, a de 1889, em Paris. Já a edição de 1922 foi no Brasil. Na ocasião, o Rio de Janeiro recebia os visitantes em pavilhões construídos à beira-mar, no bairro da Urca.

Mais Recentes da CNN