Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Não podemos pagar preço de outra guerra mundial, diz presidente da Ucrânia

    Volodymyr Zelensky se pronunciou durante Conferência de Segurança realizada hoje (19) em Munique, na Alemanha

    Renata Souzada CNN

    em São Paulo

    Ouvir notícia

    Em Conferência de Segurança realizada hoje (19) em Munique, na Alemanha, e mediada pela âncora da CNN Christiane Amanpour, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou que o mundo não está preparado para “pagar o preço” de outra guerra mundial.

    “O mundo já pagou um preço muito alto com duas guerras mundiais e nós não podemos seguir nessa tendência. E não tornar isso uma tendência. Nós precisamos construir um novo sistema, antes que tenhamos milhões de vítimas”, afirmou Zelensky.

    O presidente se pronunciou em meio à escalada de tensões no território ucraniano. Segundo ele, pelo menos 150 mil soldados russos fortemente armados cercam as fronteiras da Ucrânia.

    Zelensky iniciou seu discurso pedindo pela paz, em nome da Ucrânia e do mundo. “O mundo está dizendo que não pode haver uma guerra, enquanto a Rússia diz que também não quer intervir. Alguém está mentindo”, declarou o presidente.

    Em meio a sua fala, o presidente ucraniano também relembrou os episódios de fogo de artilharia que ocorreram na última quinta-feira (17) na região de Donbas, que atingiram uma escola infantil ondem estavam 30 crianças.

    “A Europa e a ONU não conseguem se proteger sozinhas, quando sua própria carta está sendo violada. Quando a carta da ONU está sendo violada”, afirmou.

    “Hoje o mundo está falando da ameaça de uma grande guerra. A questão é: será que há algo mais que podemos trazer em relação à segurança, para que não haja destruição? É muito tarde para falar em consertar, é hora de renovar.”

    Zelensky ainda questionou a receptividade da União Europeia e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para com a Ucrânia. “Disseram para nós [a Otan] que as portas estavam abertas, mas até agora não nos foi permitido. Será que os outros membros passaram por isso?”

    O presidente refutou a teoria de que a Ucrânia almeja entrar na Otan para reconquistar a Crimeia, utilizando a própria carta da organização como argumento em relação ao reconhecimento da integridade territorial.

    “Nós estamos olhando para a paz, mas devemos nos preparar também para terminar com a guerra em todos os possíveis formatos”, disse.

    Zelensky se posicionou favorável ao diálogo entre a Rússia e a Ucrânia e à resolução diplomática do conflito. O presidente também pediu por garantias de segurança ao seu país.

    “Nós devemos dar segurança ao nosso país para criar a segurança e a estabilidade e para trazer também novos armamentos para o nosso exército, também para proteger a Europa, como um todo. E sanções também são necessárias para restringir às agressões.”

    O presidente ucraniano encaminhou o discurso agradecendo ao apoio de outros países e criticando a postura de algumas nações, cujos nomes não foram citados. “Acho que alguns países deveriam ter vergonha, inclusive, mas esse é um problema deles. Cada país tem o seu carma”, afirmou.

    Após o pronunciamento, Volodymyr Zelensky foi entrevistado por Christiane Amanpour. Na entrevista, o presidente avaliou a gravidade das provocações supostamente feitas pela Rússia e se posicionou sobre como deve reagir a Ucrânia.

     

    Mais Recentes da CNN