“Não presuma que Putin não atacará outros países”, diz chanceler alemão

Olaf Scholz destacou que a Alemanha apoiará Finlândia e Suécia se decidirem se juntar à Otan

Chanceler da Alemanha, Olaf Scholz
Chanceler da Alemanha, Olaf Scholz Foto: Michael Kappeler/Pool via REUTERS

Sarah MarshMiranda MurrayMadeline Chambersda Reuters

Ouvir notícia

O chanceler alemão, Olaf Scholz, disse nesta terça-feira (3) que ninguém pode presumir que a Rússia não atacará outros países após a violação da lei internacional na Ucrânia, acrescentando que a Alemanha apoiará a Finlândia e a Suécia se elas decidirem se juntar à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

A invasão da Ucrânia pela Rússia quebrou a ordem pós-Segunda Guerra Mundial e está forçando a Europa a reforçar sua estratégia de defesa, afirmou Scholz em declaração à imprensa ao lado das primeiras-ministras da Suécia, Magdalena Andersson, e Finlândia, Sanna Marin.

As duas líderes se juntaram no gabinete alemão para o início de sua agenda de dois dias em Schloss Meseberg, ao norte da capital, para discutir a situação de segurança da Europa.

Desde a invasão da Rússia, que descreve sua ação como “operação militar especial”, a Finlândia e a Suécia consideram se candidatar à aliança militar ocidental da Otan, o que marcaria uma grande mudança de política para a região nórdica.

“Ninguém pode presumir que o presidente e o governo russos não violarão em outras ocasiões a lei internacional com violência”, destacou o chanceler alemão.

Em uma entrevista separada à revista Stern, Scholz disse que a política do presidente russo, Vladimir Putin, é imperialista e que considera os países vizinhos como quintal da Rússia.

“Ele quer expandir seu território e empurrar fronteiras com violência”, afirmou. “Ele está tentando desesperadamente restabelecer a antiga importância da Rússia em um mundo que mudou”, finalizou.

Mais Recentes da CNN