Nova estação espacial da China recebe uma astronauta mulher pela primeira vez

Wang Yaping, 41, faz parte de uma equipe de três membros que se dirige para a estação espacial Tiangong

Wang Yaping liderará uma caminhada espacial, se tornando a primeira mulher chinesa a fazê-lo
Wang Yaping liderará uma caminhada espacial, se tornando a primeira mulher chinesa a fazê-lo Stringer/AFP/Getty Images

Nectar GanJessie Yeungda CNN

Hong Kong

Ouvir notícia

A primeira mulher designada para trabalhar na nova estação espacial da China está a bordo da espaçonave Shenzhou-13, que decolou no início do sábado (16), horário local – início da tarde da sexta-feira, no horário de Brasília –, em missão vista como um marco para as astronautas e o programa espacial em rápida expansão do país.

Wang Yaping, 41, faz parte de uma equipe de três membros que se dirige para a estação espacial Tiangong – ou Heavenly Palace (Palácio Celeste, em tradução livre) – onde se espera que ela se torne a primeira mulher chinesa a conduzir uma caminhada no espaço.

O objetivo da China de concluir a estação e tê-la totalmente equipada até dezembro de 2022 é uma meta ambiciosa, mas parece estar no caminho certo.

No mês passado, três outros astronautas chineses completaram com sucesso uma estadia de três meses a bordo, durante a qual trabalharam no módulo central da estação e conduziram duas caminhadas espaciais para instalar equipamentos.

Desta vez, a equipe de Wang ficará por 183 dias – o período mais longo de astronautas chineses no espaço. Ela será acompanhada pelo comandante da missão Zhai Zhigang, 55, e Ye Guangfu, 41.

A espaçonave estava programada para decolar do deserto de Gobi, no noroeste da China, às 0h23, horário de Pequim, no sábado, disse o Programa Espacial Tripulado da China na quinta-feira.

Os preparativos para sua estada estão sendo feitos há muito tempo. No mês passado, um navio de carga entregou 6 toneladas métricas de alimentos, água, garrafas de oxigênio, trajes espaciais e outras necessidades para a estação.

Será a segunda missão espacial de Wang. Major da Força Aérea do Exército de Libertação do Povo Chinês e pilota de avião de transporte, ela foi recrutada como aspirante a astronauta em 2010.

Em 2013, ela passou 15 dias em órbita com a missão Shenzhou-10. Em um módulo experimental da estação espacial, ela deu uma palestra de ciências para 60 milhões de estudantes em toda a China – mostrando a tensão superficial de líquidos no espaço, conduzindo movimentos de kung fu e respondendo a perguntas.

Em entrevista à CNN em 2015, Wang contou o primeiro momento em que olhou para a Terra do espaço.

Astronautas se preparam para viagem até a nova estação espacial chinesa, em 15/10/2021 / REUTERS

“Quando olhei pela janela pela primeira vez, percebi o verdadeiro significado do poder da vida…esse tipo de beleza estava além da compreensão”, disse ela.

De acordo com Wang, um programa espacial tripulado sem mulheres astronautas estaria incompleto.

“É como o papel de uma mulher na família. As mulheres têm responsabilidades. Também tornamos as missões sérias mais vivas e agradáveis”, disse ela.

E as mulheres da tripulação também trazem um benefício prático, acrescentou Wang. “Nós, mulheres astronautas, pesamos menos (do que os homens) e isso é mais econômico para a missão.”

Wang é a segunda mulher da China no espaço, depois da colega astronauta Liu Yang. Em 2012, Liu fez história ao se juntar a uma tripulação de três pessoas na espaçonave Shenzhou-9 – um marco celebrado por mulheres em toda a China.

A missão espacial de Liu aconteceu 49 anos depois que a União Soviética colocou Valentina Tereshkova no espaço – tornando-a a primeira mulher astronauta do mundo no espaço sideral.

Zhai Zhigang, 55, Ye Guangfu, 41, e Wang Yaping, 41, formam a equipe da missão / REUTERS

As astronautas percorreram um longo caminho desde que Tereshkova fez aquela primeira viagem. De acordo com a NASA, até março deste ano, 65 mulheres voaram no espaço, incluindo cosmonautas, astronautas, especialistas em carga e participantes da estação espacial.

Em 1983, a astronauta e física Sally Ride se tornou a primeira mulher americana no espaço – mas, naquela época, a indústria espacial dominada pelos homens parecia não ter noção das necessidades das mulheres.

Enquanto Ride se preparava para sua viagem no ônibus espacial STS-7, os engenheiros da NASA perguntaram quantos absorventes ela poderia precisar durante uma semana em órbita.

“100 é um bom número?” Ride lembrou-se deles perguntando, de acordo com a transcrição de um projeto de história oral da NASA de 2012.

Em uma resposta concisa, ela sugeriu que reduzissem essa estimativa pela metade.

Varsha Jain, ginecologista e pesquisadora do Kings College London, disse anteriormente à CNN que, embora a maioria dos sistemas no corpo humano seja fortemente afetada durante o vôo espacial, o ciclo menstrual feminino não parece mudar em nada.

Sua pesquisa descobriu que a maioria das astronautas optam por usar anticoncepcionais e suspender a menstruação, tanto na preparação quanto durante o vôo espacial.

Para missões que duram algumas semanas, os astronautas podem usar anticoncepcionais orais para cronometrar seus ciclos de acordo. Mas Jain disse que nenhuma pesquisa foi feita sobre o uso prolongado de anticoncepcionais no espaço, para missões que duram meses ou mesmo anos.

Segundo a mídia estatal chinesa, entre os suprimentos enviados à estação espacial de Tiangong estavam 60 frascos de toner, 30 frascos de soro e 30 frascos de creme facial, além de produtos de higiene feminina – todos preparados especialmente para Wang.

Texto traduzido. Leia o original em inglês.

Mais Recentes da CNN