Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Número de refugiados da guerra na Ucrânia chega a 2 milhões, diz ONU

    Diretora da agência de refugiados das Nações Unidas disse que é "particularmente doloroso" atingir esta marca no Dia Internacional das Mulheres

    Victoria Klestyda ReutersLéo LopesNiamh Kennedyda CNN

    Ouvir notícia

    O número de refugiados que fogem da invasão russa da Ucrânia agora aumentou para 2 milhões, disse o chefe da agência de refugiados da ONU, ACNUR, nesta terça-feira (8).

    “Hoje, a saída de refugiados da Ucrânia chega a dois milhões de pessoas”, disse Filippo Grandi em seu Twitter.

    Falando à estação de rádio francesa France Inter nesta terça-feira, Grandi chamou o marco de um número “aterrorizante”.

    “Há centenas de milhares de pessoas em movimento, tentando fugir da zona de combate e buscar refúgio primeiro dentro da Ucrânia nas zonas seguras. Mas o espaço seguro está diminuindo e as pessoas estão inevitavelmente tentando cruzar as fronteiras”, disse ele.

    Quase todos os refugiados são mulheres, crianças e idosos, segundo Grandi, que disse não ter visto tamanha preponderância em toda a sua carreira.

    “É uma população muito específica. É significativo que no Dia Internacional da Mulher, os homens façam a guerra e as mulheres paguem as consequências”, continuou Grandi.

    Ele disse que a maioria dos refugiados viajou para a Polônia, Moldávia e outros países vizinhos, acrescentando que a maioria se desloca para “onde têm conexões, família”.

    “O que tememos é uma segunda onda de pessoas que têm muito menos recursos e conexões e que serão muito mais vulneráveis”, alertou Grandi.

    Em outra publicação na rede, a diretora global de comunicação da ACNUR, Joung-ah Ghedini-Williams disse que é “particularmente doloroso” atingir esta marca no Dia Internacional das Mulheres. “As mulheres ucranianas carregam um fardo inimaginavelmente pesado em seus ombros. O mundo precisa continuar a apoiá-las”, afirmou.

    Outra porta-voz da agência, Shabia Mantoo reforçou o fato da guerra na Ucrânia ser “a crise de refugiados que mais cresce em solo europeu desde a Segunda Guerra Mundial”.

    A Romênia recebeu 281 mil refugiados desde o início do conflito na Ucrânia, disse a Polícia de Fronteira da Romênia à CNN na terça-feira, embora 208 mil deles já tenham deixado o país.

    A polícia de fronteira não especificou para onde os refugiados estavam indo depois de deixar a Romênia.

    Últimas notícias da guerra

    O Ministério de Defesa da Rússia informou, nesta terça-feira (8), que corredores humanitários foram abertos em cinco cidades ucranianas, entre elas a capital, Kiev. As forças russas afirmaram que interromperam os ataques nos locais das rotas por volta de 9 horas no horário local — 4 horas de Brasília.

    Além de Kiev, os corredores estão localizados em Sumy, Cherhihiv, Kharkiv e Mariupol.

    Autoridades do Ministério da Defesa da Ucrânia também confirmaram que o resgate em alguns dos corredores está acontecendo. Estudantes estrangeiros estão sendo levados de Sumy para Poltava.

    A chefe de direitos humanos da ONU, Michelle Bachelet, pediu nesta terça-feira que os civis presos possam sair em segurança. “Repito meu apelo urgente para um fim pacífico das hostilidades”, declarou.

    Destaques das últimas 24 horas

    • ONU diz que número de refugiados da guerra chega a 2 milhões
    • Cessar-fogo em cinco cidades permite retirada de civis em corredores humanitários
    • Ataque em prédio residencial em Sumy na noite de segunda-feira (7) deixa dezenas de mortos
    • Terceira rodada de negociações acaba com um “pequeno avanço” em relação aos corredores humanitários
    • Rússia pede retorno à ‘coexistência pacífica’ com os EUA, como durante a Guerra Fria
    • Embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, disse que “está claro que Putin tem um plano para destruir a Ucrânia”

    Mais Recentes da CNN