NY recorrerá à Guarda Nacional para substituir empregados da saúde não vacinados

70 mil trabalhadores da saúde do estado não foram totalmente vacinados contra a Covid-19

Kathy Hochul, governadora de Nova York, pretendente contratar guarda nacional e profissionais de fora do estado para substituir profissionais da saúde não vacinados
Kathy Hochul, governadora de Nova York, pretendente contratar guarda nacional e profissionais de fora do estado para substituir profissionais da saúde não vacinados Anthony Behar/Sipa USA

Ouvir notícia

A governadora de Nova York, Kathy Hochul, está considerando contratar a Guarda Nacional e profissionais médicos de fora do estado para suprir a falta de funcionários em hospitais. Dezenas de milhares de trabalhadores da saúde tem até a segunda-feira (27) para cumprir a vacinação obrigatória contra a Covid-19.

O plano, descrito em um comunicado de Hochul no sábado (25), permite que ela declare estado de emergência para aumentar a oferta de profissionais de saúde e incluir profissionais licenciados de outros estados e países, bem como enfermeiros já aposentados.

Hochul disse que Nova York também pretende usar oficiais da Guarda Nacional com treinamento médico para manter hospitais e outras instalações médicas com pessoal adequado.

Cerca de 16% dos 450 mil funcionários de hospitais de Nova York, ou cerca de 70 mil trabalhadores, não foram totalmente vacinados, segundo informações do governo estadual.

O plano é anunciado em meio a uma discussão mais ampla entre líderes dos governos estadual e federal que pressionam pelos cumprimentos de vacinação obrigatória, e assim, ajudar a combater a variante Delta do coronavírus, que é altamente infecciosa. E em meio a tudo isso, existem trabalhadores que são contra a obrigatoriedade de imunização, alguns deles usando motivos religiosos.

“Ainda estamos em uma batalha contra a Covid para proteger nossos entes queridos”, disse Hochul ao anunciar o plano.

“Cumprimento todos os profissionais de saúde que se prepararam para se vacinar e peço a todos os demais profissionais que não foram vacinados que o façam agora, para que possam continuar cuidando das pessoas”.

 

Mais Recentes da CNN