Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lavrov critica Ocidente por pressão sobre África e América Latina contra a Rússia

    Ministro das Relações Exteriores da Rússia afirma que os países deveriam "ter permissão para tomar suas próprias conclusões"; o chamado Sul Global hesita em adotar sanções políticas e econômicas ao regime de Vladimir Putin

    Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, durante encontro com delegação de líderes africanos, em São Petersburgo, Rússia
    Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, durante encontro com delegação de líderes africanos, em São Petersburgo, Rússia 17/06/2023Pavel Bednyakov/RIA Novosti via REUTERS

    Da CNN

    O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, acusou nesta sexta-feira (30) o Ocidente de exercer uma “pressão descarada” sobre os países da África e da América Latina para que adotem as medidas tomadas contra a Rússia por causa de suas ações militares na Ucrânia.

    Lavrov, falando em uma coletiva de imprensa, disse que os países deveriam ter permissão para tomar suas próprias decisões sobre como conduzir suas relações com a Rússia.

    O Ocidente impôs sanções econômicas abrangentes contra a Rússia após sua decisão de enviar dezenas de milhares de tropas para a Ucrânia em fevereiro de 2022. Mas muitos países do mundo em desenvolvimento – incluindo os gigantes asiáticos China e Índia – não adotaram medidas punitivas contra Moscou.

    Vários países da América Latina e da África condenaram a invasão da Rússia contra a Ucrânia, mas criticam o apoio militar aberto dos integrantes da Otan, além do Japão, Coreia do Sul e outros países.

    Recentemente, uma comitiva de líderes africanos, encabeçada pelo presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, foi à Rússia e Ucrânia para costurar um acordo de paz.

    Posição do Brasil

    O Brasil, tanto com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) quanto com o Luiz Inácio Lula da Silva, manteve os laços econômicos com a Rússia e se mostrou neutro em relação ao conflito, embora as potências ocidentais acusem esse comportamento de ser um apoio tímido aos russos.

    Em entrevista à Itatiaia nesta sexta-feira (30), Bolsonaro deu detalhes de uma conversa telefônica que teve com o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, em julho do ano passado. Ele afirma que se justificou para negar a entrada do Brasil no embargo promovido pelo Ocidente contra a Rússia por causa da guerra.

    Em entrevista à Rádio Itatiaia nesta sexta-feira (30), Bolsonaro disse que, cobrado por sanções contra os russos, questionou Zelensky sobre como ficaria a questão dos fertilizantes – insumo agrícola que o Brasil importa da Rússia.

    (Publicado por Fábio Mendes, com informações da Reuters)