Onda de calor faz termômetros alcançarem temperaturas recordes na Argentina

Tempo seco e quente é impulsionado pelo fenômeno natural La Niña

Argentina foi por algumas horas o lugar mais quente do planeta superando partes da Austrália
Argentina foi por algumas horas o lugar mais quente do planeta superando partes da Austrália Reprodução/Reuters

Da Reuters*

Ouvir notícia

A Argentina enfrenta uma histórica onda de calor, com as temperaturas passando dos 40ºC. Além disso, centenas de milhares de pessoas ficaram sem luz após falhas na rede elétrica da região da capital Buenos Aires.

O tempo seco e quente, impulsionado pelo fenômeno natural La Niña, já atinge as plantações. Isso fez da Argentina, por algumas horas, o lugar mais quente do planeta superando partes da Austrália, que esfriaram durante a noite.

“O que estamos atravessando é uma onda de calor de características extraordinárias, de valores de temperaturas extremos, que, inclusive, quando for analisada ao seu fim, pode chegar a alguns recordes históricos de temperatura na Argentina, assim como de persistência de calor”, analisa o meteorologista Lucas Berengua.

A situação fez alguns argentinos pensarem na mudança climática e na possibilidade de mais temperaturas extremas. Nos últimos anos, o país tem visto um aumento considerável no número de incêndios florestais. O rio Paraná, principal curso de água formador da Bacia do Prata chegou ao menor nível dos últimos 80 anos.

O Rio Grande do Sul e o Uruguai também foram atingidos pela onda de calor. De acordo com a MetSul Meteorologia, as temperaturas mais altas no estado brasileiro devem ser registradas na região Oeste. A área da cidade de Uruguaiana pode ver uma escalada de calor com máximas de 41ºC e 42ºC nos próximos dias.

“Em Porto Alegre e região, o calor será maior no final da semana e no próximo fim de semana com marcas ao redor ou acima dos 40ºC”, aponta a MetSul.

(*Com informações de Elis Franco e Leonardo Lopes, da CNN)

Mais Recentes da CNN