Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    ONU diz que trégua em Gaza é “passo importante”; famílias pedem libertação de todos os reféns

    Hamas concordou em libertar 50 mulheres e crianças; haverá trégua de quatro dias nos combates

    Soldados israelenses no norte de Gaza
    Soldados israelenses no norte de Gaza 8/11/2023 REUTERS/Ronen Zvulun

    Da CNN

    O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse que ela “mobilizará todas as suas capacidades” para apoiar a implementação da trégua entre Israel e Hamas.

    “Saúdo o acordo alcançado entre Israel e Hamas. É um passo importante na direção certa, mas muito mais precisa ser feito. A ONU mobilizará todas as suas capacidades para apoiar a implementação e maximizar o impacto positivo na situação humanitária em Gaza”, destacou Guterres em comunicado.

    Veja também — Israel aprova acordo com Hamas para libertar reféns

    O Coordenador Especial da ONU para o Processo de Paz no Oriente Médio, Tor Wennesland, também comemorou a notícia da pausa humanitária de quatro dias.

    “Esta pausa deve ser aproveitada ao máximo para facilitar a libertação de reféns e aliviar as terríveis necessidades dos palestinos em Gaza”, ponderou.

    Ele também pediu que seja estabelecido um fluxo contínuo de ajuda humanitária e agradeceu ao Egito, ao Qatar e aos EUA pelos esforços para facilitar o acordo.

    “Todas as partes devem cumprir as suas responsabilidades para defender este importante acordo. Este é um passo importante, mas é preciso fazer mais e continuarei todos os esforços para pôr fim ao sofrimento”, disse Wennesland.

    Famílias pedem libertação

    O Fórum de Reféns e Famílias Desaparecidas, que representa os familiares das pessoas detidas pelo Hamas, celebrou o acordo para libertar alguns dos capturados pelo Hamas, mas pediu que as autoridades continuem esforços para libertar aqueles que permanecem em cativeiro.

    “Damos as boas-vindas a todos os reféns que voltam para casa, mas a nossa exigência permanece inalterada: a libertação imediata de todos os 236 reféns. Garantir a libertação segura de todos os reféns é uma prioridade nacional. Não haverá vitória até que todos os reféns voltem para casa”, destacou a organização em comunicado nesta quarta-feira (22).

    O fórum também exigiu que os termos do acordo garantam a segurança e o bem-estar dos demais reféns, incluindo visitas da Cruz Vermelha.

    “Pedimos aos líderes os maiores esforços para cumprirem ‘a sua carga moral’, com a vida das pessoas em jogo. Estamos gratos pelo apoio do presidente [dos EUA] Joe Biden a este acordo e pelo seu apelo inabalável à libertação de todos os reféns”, afirmou o comunicado.

    Acordo entre Israel e Hamas

    Israel e Hamas concordaram, na terça-feira (21), com uma pausa humanitária de quatro dias para permitir a libertação de ao menos 50 reféns, mulheres e crianças, detidos em Gaza.

    A resolução também envolve a libertação de 150 palestinos detidos em prisões israelenses. A grande maioria dos prisioneiros listados como elegíveis para libertação são adolescentes do sexo masculino com idades entre os 16 e os 18 anos — essas pessoas são crianças, segundo a definição das Nações Unidas.

    Alguns dos listados têm 14 anos, e cerca de 33 são mulheres também podem ser soltas, segundo apurou a CNN.

    *com informações de Simon Cullen, Lauren Izso e Mitch McCluskey, da CNN

    *publicado por Tiago Tortella, da CNN