ONU e países não-alinhados pedem vacinas e ajuda climática para nações pobres

Presidente de Gana criticou as potências globais por não compartilharem vacinas de maneira equitativa

Gana é um membro fundador do Movimento dos Países Não-Alinhados
Gana é um membro fundador do Movimento dos Países Não-Alinhados Ludovic Marin/Pool via REUTERS

Aleksandar Vasovicda Reuters

Ouvir notícia

Os países em desenvolvimento e o chefe das Nações Unidas (ONU) pediram nesta segunda-feira (11) uma distribuição mundial mais justa das vacinas contra a Covid-19 e mais financiamento dos países ricos para ajudar os mais pobres a se adaptarem a um mundo em aquecimento.

Em uma reunião que marca o 60º aniversário do Movimento dos Países Não-Alinhados, seu membro fundador, Gana, atacou as potências globais por não compartilharem as vacinas de maneira equitativa, sugerindo que os países pobres estão à mercê de Estados poderosos que estocam insumos.

“Somos observadores de um jogo de poder global e estamos sujeitos à benevolência de países poderosos que distribuem seus insumos (de vacinas) acumulados em seu próprio ritmo”, disse o presidente ganense, Nana Akufo-Addo, durante o encontro em Belgrado.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu às nações ricas que aloquem metade dos fundos fornecidos para países em desenvolvimento para combater as mudanças climáticas na missão de ajudar esses Estados a se adaptarem e sobreviverem em um mundo em aquecimento.

“Cinquenta por cento de todo o financiamento climático fornecido por países desenvolvidos e bancos multilaterais de desenvolvimento deve ser dedicado à adaptação, à resiliência”, disse Guterres em uma mensagem de vídeo na abertura da reunião, que deve durar dois dias.

Ele também pediu ao G20, grupo dos 20 países mais ricos, que faça mais para ajudar a vacinar o planeta contra o novo coronavírus.

Mais Recentes da CNN