ONU estima que 677 mil ucranianos fugiram do país por causa da guerra

Somente nas últimas 24 horas, 150 mil pessoas deixaram a Ucrânia, informou a agência da ONU para refugiados nesta terça (1º)

Emma Fargeda Reuters

em Genebra

Ouvir notícia

Cerca de 677 mil cidadãos ucranianos estão refugiados em países vizinhos em razão dos ataques promovidos pela Rússia.

A estimativa foi dada nesta terça-feira (1º) pelo alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Filippo Grandi.

De acordo com Grandi, somente nas últimas 24 horas, 150 mil pessoas deixaram o país.

Agências da ONU lançaram nesta terça-feira um apelo de emergência para responder às crescentes necessidades humanitárias após a invasão da Ucrânia pela Rússia, pedindo 1,7 bilhão de dólares para ajudar as pessoas que fugiram do país e as que ainda estão dentro.

“A crise ficou muito feia muito rápido”, disse Martin Griffiths, subsecretário-geral para Assuntos Humanitários e Coordenador de Assistência de Emergência, a jornalistas em uma entrevista coletiva em Genebra.

Ele pediu compaixão para corresponder à escala da crise.

A guerra nesta terça (1º)

Pelo menos seis pessoas ficaram feridas, incluindo uma criança, em uma explosão na segunda maior cidade da Ucrânia, Kharkiv, disse o Serviço de Emergência do Estado da Ucrânia em um post do Telegram nesta terça-feira (1°).

A explosão atingiu um prédio do governo, de acordo com vídeos do incidente postados pelo Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia (MOFA) e funcionários do governo. Os clipes foram publicados também na terça-feira, no horário local, e foram verificados pela CNN.

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kubela, disse que “ataques com mísseis russos” causaram a explosão. Ele reforçou, então, o pedido para que outros países “isolem a Rússia totalmente”.

A busca por possíveis vítimas continua em andamento, ainda segundo o governo.

Na segunda-feira (28), pelo menos nove civis foram mortos por ataques com foguetes russos em Kharkiv, disse o prefeito Ihor Terekhov. Segundo ele, três crianças morreram.

“Os mísseis atingiram prédios residenciais, matando e ferindo civis pacíficos. Kharkiv não vê tantos danos há muito tempo. E isso é horrível”, disse ele. Terekhov disse que quatro pessoas saíram do abrigo para pegar água e foram mortas.

Uma família de dois adultos e três crianças foi queimada viva em seu carro, disse ele. Outras 37 pessoas ficaram feridas. A administração da cidade de Kharkiv deu os mesmos números.

Mais Recentes da CNN