Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    ONU: Israel permitiu entrada de apenas 25% de missões de ajuda em Gaza

    Informação, divulgada pelo Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários, é referente ao mês de fevereiro

    Pessoas observam a destruição no campo de refugiados de Jabalia, em Gaza, após ataques israelenses ao enclave
    Pessoas observam a destruição no campo de refugiados de Jabalia, em Gaza, após ataques israelenses ao enclave nesta imagem estática de vídeo obtida pela REUTERS.14/10/2023

    Hande Atay Alamda CNN

    O governo israelense permitiu que apenas um quarto das missões planejadas de ajuda humanitária das Nações Unidas e de parceiros entrassem em áreas do norte de Gaza em fevereiro, disse o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) em um comunicado na quinta-feira (7).

    “Apenas seis das 24 missões planejadas para áreas a norte de Wadi Gaza foram facilitadas em fevereiro, principalmente devido a uma pausa operacional, depois de um comboio de alimentos coordenado pela ONU ter sido atingido por fogo naval israelense no dia 5 de fevereiro”, segundo a declaração da OCHA.

    A principal agência de ajuda humanitária das Nações Unidas em Gaza disse que, em 5 de fevereiro, um dos seus caminhões que esperava para levar ajuda ao norte de Gaza foi atingido por fogo israelense.

    Aumento da fome

    Pelo menos 20 pessoas morreram em Gaza devido à desnutrição e à desidratação desde o início da guerra em Gaza, incluindo um menino de 15 anos que foi declarado morto no complexo médico Al-Shifa na quarta-feira de fome, informou o centro de saúde palestino, disse o ministério de saúde do território, que é controlado pelo Hamas.

    A CNN não pode confirmar de forma independente as mortes ou as suas causas devido à falta de acesso da mídia internacional a Gaza, mas tem havido avisos cada vez mais urgentes sobre a fome na faixa por parte de agências internacionais, enquanto Israel mantém um cerco apertado.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original