Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Países do Sudeste Asiático alertam sobre risco de “erro de cálculo” em Taiwan

    Bloco da Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean) pediu que todos os lados diminuíssem a tensão sobre a ilha

    Bandeiras da China e de Taiwan com silhuetas de aviões militares em foto de ilustração
    Bandeiras da China e de Taiwan com silhuetas de aviões militares em foto de ilustração 09/04/2021 REUTERS/Dado Ruvic

    David Brunnstromda Reuters

    Ouvir notícia

    O bloco regional da Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean) alertou nesta quinta-feira (4) sobre o risco de que a volatilidade causada pelas tensões no Estreito de Taiwan possa levar a “erros de cálculo, confrontos sérios, conflitos abertos e consequências imprevisíveis entre as principais potências”.

    A Asean fez as declarações em um comunicado de seus ministros das Relações Exteriores depois que o Camboja pediu que todos os lados diminuíssem a tensão sobre Taiwan.

    A reunião em Phnom Penh, capital do Camboja, do bloco de 10 membros, que é acompanhada por uma série de altos funcionários de outros países, incluindo China e Estados Unidos, foi ofuscada pelos acontecimentos em Taiwan após a visita da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi.

    “A Asean está pronta para desempenhar um papel construtivo na facilitação do diálogo pacífico entre todas as partes”, disse a organização ao pedir o máximo de contenção e que todos os lados se abstenham de provocações.

    A viagem de Pelosi, a visita de mais alto nível dos EUA à autogovernada Taiwan em 25 anos, provocou indignação na China, que respondeu com uma explosão de exercícios militares e outras atividades na área.

    Os países do Sudeste Asiático tendem a seguir uma linha cuidadosa na tentativa de equilibrar suas relações com a China e os Estados Unidos, cautelosos em irritar qualquer uma das grandes potências.

    Em Phnom Penh, o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, chamou a visita de Pelosi de “maníaca, irresponsável e altamente irracional”, informou a TV estatal chinesa.

    Pelosi rejeitou as críticas chinesas à sua visita e um alto funcionário dos EUA disse na quarta-feira que o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, levantou a perspectiva da visita com Wang no mês passado.

    A mídia estatal chinesa disse que não havia planos para Wang e Blinken se encontrarem no Camboja.

    O Ministério das Relações Exteriores da China disse que uma reunião entre Wang e seu colega japonês à margem da reunião da Asean foi cancelada, citando descontentamento com uma declaração do G7 pedindo à China que resolva a tensão sobre Taiwan pacificamente.

    Blinken não mencionou a visita de Pelosi na quinta-feira em comentários a repórteres no Camboja.

    Depois de conhecer seu colega indiano, Subrahmanyam Jaishankar, Blinken saudou uma “visão compartilhada de um Indo-Pacífico livre e aberto”.

    Blinken, que está entre os 27 ministros das Relações Exteriores que devem participar de uma reunião de segurança do Fórum Regional da Asean na sexta-feira, disse que suas conversas com Jaishankar cobriram “a situação no Sri Lanka, na Birmânia e em vários outros pontos quentes”.

    Mais Recentes da CNN