Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Papa Francisco chega à Grécia e demonstra preocupação com imigrantes

    Pontífice se encontrará com o presidente e o primeiro-ministro da Grécia; uma missa será realizada neste domingo (5) no Athens Concert Hall

    Papa Francisco durante audiência semanal no Vaticano
    Papa Francisco durante audiência semanal no Vaticano Reuters

    Karolina Tagarisda Reuters

    Ouvir notícia

    O Papa Francisco desembarcou em Atenas, na Grécia, neste sábado (4) para a segunda etapa de uma visita ao Mediterrâneo que visa chamar a atenção para a situação dos migrantes e refugiados.

    Após uma visita de dois dias ao Chipre, o papa viajou para a Grécia, um dos principais pontos de entrada na União Europeia para requerentes de asilo que fogem da guerra e de países pobres atingidos pela pobreza no Oriente Médio, Ásia e África.

    Crianças pequenas em trajes tradicionais gregos, um menino da África e uma menina das Filipinas cumprimentaram Francisco quando ele desceu do avião.

    O pontífice, que fez da defesa de imigrantes e refugiados uma das principais pautas de seu papado, viajará para a ilha de Lesbos pela segunda vez neste domingo (5) para visitar um centro de recepção de imigrantes criado depois que o notório campo de Moria foi destruído pelo fogo no ano passado.

    Durante uma visita anterior à ilha em 2016, Francisco caminhou por Moria, um campo condenado por grupos de direitos humanos por suas condições miseráveis ​​e superlotadas. Na época, imigrantes e pessoas em busca de asilo imploraram por ajuda.

    De forma memorável, ele levou três famílias de refugiados sírios com ele no avião de volta para Roma. O papa conseguiu que 50 imigrantes de Chipre fossem realocados para a Itália depois de sua viagem esta semana.

    Em uma reunião emocionante com requerentes de asilo em Chipre nesta sexta-feira, Francisco, citando as condições na Líbia e em outros lugares, disse que tinha a responsabilidade de dizer a verdade sobre o sofrimento dos refugiados –muitos mantidos em condições que ele comparou aos dos campos nazistas e soviéticos.

    Em Atenas, o papa se encontrará com o presidente e o primeiro-ministro da Grécia, bem como com jovens em uma escola católica. Uma grande missa está prevista para domingo à noite no Athens Concert Hall.

    As autoridades proibiram os protestos no centro de Atenas durante a visita de três dias, depois que profissionais de saúde e outros grupos disseram que planejavam fazer uma manifestação neste sábado contra a vacinação obrigatória.

    Cerca de 5 mil policiais serão enviados às ruas da capital na próxima segunda-feira, último dia da visita do papa, que coincide com o 13º aniversário do assassinato de um adolescente pela polícia. Frequentemente, o aniversário atrai grandes multidões e violência.

    Mais Recentes da CNN