Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Parlamento da União Europeia aprova resolução a favor do aborto

    Texto ainda será avaliado pelo Conselho do bloco; políticos condenaram decisão da Suprema Corte dos EUA contra a interrupção legal da gravidez no país

    Ativistas protestam em frente ao Portão de Brandemburgo, em Berlim, Alemanha, pelo direito ao aborto em 08 de maio de 2022
    Ativistas protestam em frente ao Portão de Brandemburgo, em Berlim, Alemanha, pelo direito ao aborto em 08 de maio de 2022 Sean Gallup/Getty Images

    Tiago Tortellada CNN em São Paulo

    O Parlamento Europeu aprovou uma resolução nesta quinta-feira (7) que pede que o direito ao aborto seja incluído na Carta de Direitos Fundamentais da União Europeia (UE). Foram 324 votos a favor, 155 contra e 38 abstenções.

    A proposta será submetida ao Conselho Europeu, e visa alterar o artigo 7 da Carta, acrescentando que “todos têm direito ao aborto seguro e legal”.

    O texto também apela para que os Estados-membro do bloco eliminem obstáculos ao aborto seguro e garantam acesso ao serviço, cuidados pré-natais e serviços e suprimentos maternos.

    O Parlamento ressalta ainda que as proibições “afetam desproporcionalmente mulheres em situação de pobreza”, em particular aquelas pertencentes a grupos minoritários.

    A decisão acontece após a Suprema Corte dos Estados Unidos derrubar a lei “Roe vs Wade“, que garantia a interrupção legal da gravidez em todo o país há décadas.

    Os deputados europeus condenaram “veementemente mais uma vez o retrocesso nos direitos das mulheres e na saúde e direitos sexuais e reprodutivos nos EUA e em alguns Estados-Membros da UE”.

    Também expressaram solidariedade e apoio às mulheres dos Estados Unidos e àqueles realizam o aborto e o defendem.

    Por fim, os parlamentares recomendaram que uma delegação seja enviada aos EUA para avaliar o impacto da decisão da Suprema Corte e apoie os movimentos sociais no país.