Partes de Xangai voltam ao bloqueio e distrito de Pequim fecha locais de entretenimento

Ambas as cidades diminuíram as restrições generalizadas do Covid recentemente após um declínio em novos casos

Profissionais de saúde em trajes de proteção coletam amostras para exame de detecção de Covid-19 de moradores de Pequim
Profissionais de saúde em trajes de proteção coletam amostras para exame de detecção de Covid-19 de moradores de Pequim 27/04/2022 REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Ouvir notícia

Xangai e Pequim voltaram a receber novo alerta de Covid-19 na quinta-feira, depois que partes do maior centro econômico da China começaram a impor novas restrições de bloqueio, enquanto o distrito mais populoso da capital chinesa fechava locais de entretenimento.

Ambas as cidades diminuíram as restrições generalizadas do Covid recentemente após um declínio em novos casos. No entanto, o país manteve uma política de “covid-zero dinâmico” destinada a encerrar as cadeias de transmissão o mais rápido possível.

O extenso distrito de Minhang, em Xangai, que abriga mais de 2 milhões de pessoas, disse na quinta-feira que realizará testes de ácido nucleico para todos os moradores em 11 de junho e ordenou que os moradores fiquem em casa durante o período.

Várias outras autoridades governamentais de nível de rua em outros distritos da cidade também emitiram avisos dizendo que os moradores estarão sujeitos a dois dias de confinamento e outros 12 dias de testes rigorosos a partir de quinta-feira (9).

De acordo com avisos emitidos para pelo menos três bairros, os moradores devem ficar em casa até sábado, e completar cinco rodadas de testes obrigatórios que terminam em 23 de junho.

Muitos deles estavam no distrito central de Xuhui, onde cercas verdes e tábuas de madeira vermelhas surgiram na semana passada, fazendo barricadas entre os moradores e provocando uma nova indignação pública.

Um meio de comunicação do governo de Xangai, The Paper, disse que um dos surtos de Xuhui foi atribuído a um conhecido salão de beleza, o Red Rose, no centro da cidade, que reabriu em 1º de junho, quando o bloqueio em toda a cidade foi aliviado.

Três trabalhadores de lá deram positivo para Covid-19, informou na quinta-feira. A loja recebeu 502 clientes de 15 dos 16 distritos da cidade nos últimos oito dias, disse.

“Quando isso vai acabar?”, comentou um usuário do Weibo em uma reportagem da mídia sobre a Rosa Vermelha. “Eu só quero ter uma vida normal.”

Embora a taxa de infecção da China pareça muito baixa em comparação com muitos outros países, que agora optaram por viver com o vírus, o governo dobrou sua política de Covid zero para proteger seus idosos e seu sistema médico e alertou que não tolerar quaisquer comentários ou ações que duvidem ou repudiem a política.

A China registrou 240 novos casos de coronavírus em 8 de junho, dos quais 70 são sintomáticos e 170 assintomáticos, informou a Comissão Nacional de Saúde nesta quinta-feira.

Mais Recentes da CNN