Partido Republicano vê consequências de não ter confrontado Trump, diz analista

Segundo analista político Peter Schechter, o presidente dos Estados Unidos é "uma pessoa que está completamente fora da tradição americana"

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

Após a invasão do Capitólio por apoiadores do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o analista político Peter Schechter acredita que o partido republicano passou a ver as consequências de não ter confrontado Trump durante os quatro anos em que ele esteve na Presidência do país. 

“Não tenho dúvida de que ele vai se radicalizar ainda mais para a direita. Ele vai virar uma retórica racista, de divisão de polarização aqui nos Estados Unidos. Mas acho que, nas cenas terríveis que vimos, tem uma coisa boa. O partido republicano, que nos últimos anos estava completamente nas mãos de Trump, está vendo quais são as consequências de não dizer nada, de não confrontar uma pessoa que está completamente fora da tradição americana”, explica.

Assista e leia também:

Apesar de novo tom, Trump não aceitou a transição democrática, avalia analista

Capitólio: FBI oferece recompensa de R$ 270 mil para achar quem plantou bombas

Pessoas que invadiram o Capitólio estão sendo identificadas e perdendo empregos

Trump anunciou nesta sexta-feira (8) em suas redes sociais que não irá à cerimônia de posse de Joe Biden em 20 de janeiro. Na avaliação de Schechter, no final das contas, a decisão é positiva. 

“Há quatro anos, todo mundo bota a atenção nele. Acho que é uma hora muito boa para acabar de prestar atenção constantemente em Trump. É bom que ele não vá e que ele saia de Washington sem mais palavras.”

Impeachment

Apesar da invasão e das cenas de violência e vandalismo que ocorreram no Congresso americano na quarta-feira (6) por parte dos apoiadores do republicano, para o analista político, o impeachment atrapalharia o início da gestão de Biden.

“Duvido muito que o presidente Biden vai apoiar esse tipo de polarização política. Eu acho que ele vai dizer ao povo americano para tentar abrir uma nova página. Para ouvir as vozes de todo mundo, mas com respeito, negociações e diálogo entre os partidos”, diz.

Redes sociais

O Twitter suspendeu permanentemente nesta sexta-feira (8) a conta do presidente de Donald Trump. De acordo com a rede social, a suspensão foi motivada “pelo risco de mais incitação à violência” por parte dele.

A proibição ocorre dois dias após a invasão do Congresso americano por manifestantes pró-Trump. 

O Facebook e o Instagram vão estender o bloqueio das contas do presidente dos EUA, Donald Trump, por pelo menos mais duas semanas até que a transição presidencial seja concluída e Joe Biden assuma a presidência.

(Publicado por Sinara Peixoto)

 

 

Mais Recentes da CNN