Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pedidos de refúgio serão analisados caso a caso, diz Argentina sobre foragidos do 8/1

    Porta-voz da Casa Rosada se manifestou pela primeira vez sobre brasileiros foragidos

    Luciana Taddeoda CNN

    em Buenos Aires, Argentina

    O porta-voz do governo da Argentina, Manuel Adorni, disse nesta segunda-feira (10) que pedidos de refúgio ao país feitos por foragidos dos ataques às sedes dos Três Poderes do Brasil em 8 de janeiro do ano passado serão analisados individualmente e de acordo com a lei.

    “Se efetivamente houver na Argentina criminosos no sentido que você menciona, o caminho legal correspondente será seguido”, disse o porta-voz, quando questionado pela CNN em coletiva de imprensa na sede do governo se o país concederá refúgio aos foragidos.

    A Polícia Federal brasileira confirmou à CNN que pelo menos 48 foragidos do 8 de janeiro estariam na Argentina, mas autoridades consideram ainda mais condenados possam ter fugido para o país vizinho.

    De acordo com o porta-voz da Casa Rosada, sede do governo argentino, “a legalidade, factibilidade legal e se corresponde ou não” dos pedidos de refúgio serão avaliados pela Comissão Nacional de Refugiados (Conare) do país caso a caso.

    Ele tentou, no entanto, desvincular a Casa Rosada da decisão da Conare, composta por representantes dos ministérios do Interior, das Relações Exteriores, e outros integrantes do governo.

    Também participam do colegiado o Alto-comissariado das Nações Unidas para os Refugiados e organizações não governamentais, mas sem direito a voto.

    “Escapa a nós essa decisão, entendo que [para a concessão de refúgio] precisam ser cumpridas determinadas condições, que se verá em cada caso se são cumpridas ou não e se isso é factível”, afirmou Adorni.

    “Antecipadamente ou previamente não é possível tomar nenhuma decisão além de nos apegarmos especificamente ao que a lei e questões internacionais em termos de segurança determinam”, adicionou.

    Questionado se a Argentina entregará para o Brasil informação de se 143 condenados pelos atos antidemocráticos estão no país, o porta-voz da Casa Rosada voltou a insistir no cumprimento da legislação.

    “A Argentina vai fazer tudo o que a lei indica que deve fazer e se isso significa passar informação, fará isso, claro”, pontuou sobre a solicitação do Supremo Tribunal Federal (STF) à chancelaria argentina na última sexta-feira (7).

    Após outra pergunta feita pela CNN, o porta-voz não respondeu se haverá algum monitoramento dos brasileiros procurados pela polícia brasileira pelas forças de segurança locais.