Por coronavírus, estado de Connecticut adia primárias democratas para junho

O governador Ned Lamont disse que a medida "esforço para preservar a democracia enquanto mantém a saúde pública como maior prioridade"

Eleitor vota nas primárias de Illinois, nos Estados Unidos, usando máscara de proteção contra coronavírus
Eleitor vota nas primárias de Illinois, nos Estados Unidos, usando máscara de proteção contra coronavírus Foto: Daniel Acker/Reuters (17.mar.2020)

Da CNN Brasil, em São Paulo

Ouvir notícia

Ned Lamont, governador do estado de Connecticut, nos Estados Unidos, anunciou nesta quinta (19) que ele adiará as primárias democratas para 2 de junho. Inicialmente, elas estavam previstas para 28 de abril.

Em uma publicação no Twitter, Lamont declarou que a medida é um “esforço para preservar a democracia enquanto mantém a saúde pública como maior prioridade”.

A disputa democrata para decidir quem será o adversário de Donald Trump nas eleições de novembro está entre Joe Biden, que foi vice-presidente de Barack Obama, e o senador Bernie Sanders. No momento, Biden tem o apoio de 1.111 delegados, contra 796 para Sanders. O vencedor precisa do apoio de 1.991 delegados para conquistar a candidatura.

Leia também:
Como funcionam as primárias nos EUA?

Connecticut não é o primeiro estado americano a postergar a disputa democrata. Geórgia, Ohio, Kentucky, Maryland e Louisiana também adiaram a realização das primárias para evitar aglomeração de pessoas. Todos esses estados moveram as datas para o período entre o fim de maio e o começo de junho.

Os próximos pleitos democratas acontecem em Porto Rico, no dia 29, e no Alasca, Havaí e Wyoming em 4 de abril.

Antes das mudanças, o apoio da maior parte dos delegados já estaria alocado até o fim deste mês. Com as prorrogações, só será possível ter um cenário mais claro após o dia 28 de abril, quando 460 delegados estarão em jogo nas primárias da Pensilvânia e Nova York.

Mais Recentes da CNN