Por COVID-19, Trump sugere suspender voos do Brasil para os EUA

Os EUA são o país mais afetado pela pandemia, com mais de 1 milhão de casos e 57.266 mortos, de acordo com levantamento da Universidade Johns Hopkins

O presidente dos EUA, Donald Trump, em frente a painel que diz 'Abrindo a América de novo'
O presidente dos EUA, Donald Trump, em frente a painel que diz 'Abrindo a América de novo' Foto: Carlos Barria/Reuters (27.abr.2020)

Da CNN

Ouvir notícia

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sugeriu nesta terça-feira (28) que o país suspenda voos com origem no Brasil.

“O Brasil teve um surto [de coronavírus], como você sabe”, disse Trump em uma reunião com o governador do estado da Flória, Ron DeSantis.

DeSantis propôs uma abordagem menos radical. “Bem, não necessariamente barrar [viajantes chegando do Brasil], mas se vão chegar em Miami, as linhas aéreas deveriam fazer testes antes do embarque”, disse.

O assunto veio à tona após DeSantis demonstrar preocupação com o grande volume de passageiros da América do Sul e Central que desembarcam em Miami. Atualmente, os EUA são o país mais afetado pela pandemia, com mais de um milhão de casos e 57.266 mortos, de acordo com levantamento da Universidade Johns Hopkins.

Leia também:

Casos do novo coronavírus nos Estados Unidos passam de 1 milhão

Trump suspende temporariamente imigração para os Estados Unidos

“Você consideraria barrar alguns países? Avise-nos se for o caso”, respondeu Trump, demonstrando abertura para tais medidas. Trump já suspendeu anteriormente os voos vindos da China e de outros 26 países europeus, como Itália, França e Alemanha.

Segundo os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde, o Brasil tem 66.501 pacientes e 4.543 vítimas da COVID-19.

O presidente dos EUA também anunciou que considera tornar obrigatório o uso de máscaras e testes de COVID-19 para viajantes que chegarem ao país. A conversa entre os governantes aconteceu para discutir os planos do governador de reabrir a Flórida, cuja quarentena expira em 1º de maio. 

Mais Recentes da CNN