Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Portas do Inferno: presidente do Turcomenistão quer fechar cratera de Darvaza

    Supostos motivos seriam efeitos negativos na saúde de habitantes locais, desperdício de gás natural e danos ambientais

    Cratera de gás de Darvaza se formou no início da década de 70 e virou atração turística
    Cratera de gás de Darvaza se formou no início da década de 70 e virou atração turística Ybrayym Esenov/Unsplash

    Lilit Marcusda CNN

    Ouvir notícia

    Nem todo mundo se impressiona com o fato de o local mais famoso internacionalmente do Turcomenistão ser conhecido como as “Portas do Inferno”.

    O presidente do país, Gurbanguly Berdymukhamedov, supostamente ordenou o fechamento do local, que é oficialmente chamado de Cratera de Darvaza, em homenagem à cidade onde está localizada.

    A cratera foi formada no início da década de 1970, quando o solo desabou durante uma expedição soviética de perfuração de gás. Os cientistas supostamente teriam acendido o enorme buraco em chamas para impedir a propagação do gás natural, e ele está queimando desde então.

    Embora a cratera tenha se tornado uma atração turística, o presidente Berdymukhamedov teria pedido ao seu gabinete para encontrar uma maneira de fechar as portas proverbiais, de acordo com o jornal estatal Neytralny Turcomenistão.

    Foram vários os motivos apontados para a extinção do famoso fogo: efeitos negativos na saúde das pessoas que moram nas proximidades, desperdício de recursos valiosos de gás natural, e danos ambientais.

     

    Segundo o jornal, o vice-primeiro-ministro do Turcomenistão “foi instruído a reunir cientistas e, se necessário, atrair consultores estrangeiros e encontrar uma solução para extinguir as chamas”.

    O gás natural é uma das principais fontes de receita do país da Ásia Central.

    Atualmente, não há prazo estipulado para fechar a Cratera de Darvaza ou apagar o fogo.

    Presidente desde 2006, Berdymukhamedov é famoso por seu amor pela arquitetura de ouro e mármore. O líder autocrático tem passado por uma frenesi de construção, concentrando-se principalmente na capital Ashgabat, com novos edifícios governamentais gigantes, monumentos e outras realizações arquitetônicas.

    Uma das mais notórias é a gigantesca estátua dourada de um cão pastor turcomano, a raça favorita de Berdymukhamedov e um dos símbolos oficiais do país.

    O presidente ama tanto esses cães que escreveu um livro sobre eles, deu um de presente ao presidente russo Vladimir Putin e estabeleceu um feriado nacional em homenagem a eles.

    O turismo ainda é uma indústria relativamente pequena no Turcomenistão. O número anual de visitantes estrangeiros antes da pandemia foi estimado na casa das dezenas de milhares.

    Um novo e moderno aeroporto em Ashgabat, com um terminal gigante em forma de pássaro, foi inaugurado em 2006. O projeto custou US$ 2,3 bilhões e tinha o objetivo de elevar o perfil internacional do Turcomenistão.

    De acordo com o índice mundial de Liberdade de Imprensa compilado anualmente pelo grupo Repórteres Sem Fronteiras, o Turcomenistão ocupa o 178º lugar entre 180 países do mundo em relação a censura à imprensa.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN