Putin e Biden concordam com retorno de embaixadores a Washington e Moscou

Diplomatas haviam sido chamados de volta mais cedo neste ano

Joe Biden e Vladimir Putin posam em Genebra, na Suíça
Joe Biden e Vladimir Putin posam em Genebra, na Suíça Foto: Denis Balibouse - Pool/Keystone via Getty Images

Anna Satie*, da CNN em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta quarta-feira (16) ter concordado com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, a reenviar os respectivos embaixadores a Washington e Moscou. 

“A questão de quando isso acontecerá é puramente técnica”, disse.

O ministro-adjunto de Relações Internacionais da Rússia, Sergei Ryabkov, disse depois que o enviado russo, Anatoly Antonov, voltaria aos EUA até o final de junho. 

Em março, Moscou chamou Antonov de volta após Biden dizer que acreditava que Putin era um “assassino”. No mês seguinte o embaixador dos EUA na Rússia, John Sullivan, também voltou a Washington após sugestão do Kremlin que ele fizesse o mesmo.

Putin e Biden se encontraram pessoalmente em Genebra, na Suíça, pela primeira vez desde que Biden assumiu o cargo. Após o encontro, cada um deles cedeu uma entrevista coletiva separadamente.

O russo disse que a conversa foi “construtiva” e que não havia hostilidade entre os dois países, enquanto o norte-americano falou que há uma “perspectiva genuína de melhora” na relação bilateral.

(*Com informações da Reuters e da CNN Internacional)

Mais Recentes da CNN