Putin é um assassino, diz goleiro ucraniano ao enviar mensagem de esperança

Anatoliy Trubin, goleiro do Shakhtar Donetsk, disse que a Ucrânia vencerá a guerra e que o país será mais forte, mais bonito e um dos melhores do mundo

Reprodução /Anatoliy Trubin via instagram

Ben ChurchPatrick Snellda CNN*

Ouvir notícia

Anatoliy Trubin deveria estar aproveitando a vida como jogador de futebol profissional. Em vez disso, o jovem de 20 anos está fazendo sua parte para ajudar a Ucrânia a sobreviver à invasão russa.

O goleiro do Shakhtar Donetsk, que também jogou pela seleção, estava morando na cidade de Lutsk, no oeste da Ucrânia, enquanto falava à CNN sobre a vida em seu país devastado pela guerra.

Lutsk foi alvo de ataques com mísseis russos no mês passado e Trubin ficou com o coração partido pela devastação que viu em sua terra natal.

“Não entendo como isso é possível em 2022 e para mim é como um pesadelo e é realmente assustador para todos na Ucrânia”, disse Trubin a Patrick Snell, da CNN Sport.

A liga doméstica ucraniana foi suspensa em meio aos combates, deixando jogadores como Trubin livres para ajudar no esforço de socorro.

Ele diz que seus companheiros de equipe de Donetsk começaram a arrecadar dinheiro para as vítimas da guerra e Trubin quer usar sua plataforma para enviar mensagens de esperança para aqueles que enfrentam a realidade brutal da guerra.

“Muitos jogadores estão ajudando nosso país e é claro que farei o mesmo. É importante para nossos militares e nosso país”, disse ele.

“Temos muitas mensagens em nossas mídias sociais, então tentamos nos conectar e colocar nossos poderes e mentes juntas para coisas diferentes.

“Tentamos comprar coisas e enviá-las para cidades diferentes. É muito difícil, mas é muito importante para o nosso povo.”

Trubin é uma das várias estrelas do esporte ucraniano que permaneceram ou retornaram à Ucrânia para ajudar durante a guerra.

Os ex-boxeadores Wladimir e Vitaly Klitschko — o último dos quais atualmente é prefeito de Kiev — e o atual peso pesado mundial Oleksandr Usyk se juntaram às forças ucranianas, assim como o campeão mundial de MMA Yaroslav Amosov e o ex-tenista Sergiy Stakhovsky.

Usyk deixou a Ucrânia, postando uma mensagem no Instagram em 25 de março dizendo que “decidiu começar a se preparar para uma revanche com Anthony Joshua”. Ainda não há data e local definidos para a luta.

Trubin explica por que tantos de seus compatriotas se sentiram compelidos a ajudar nos esforços.

“Nosso espírito é um dos mais fortes”, diz ele sobre os ucranianos. “Esta parte do nosso espírito, ninguém pode tirar do nosso corpo. Tentamos dar tudo.”

“Meu coração está sangrando. Muitas pessoas, muitas crianças, são mortas e eu não entendo isso. Putin é um assassino e não entendo como isso é possível.”

Trubin conversou com a CNN em 24 de março, pouco mais de uma semana antes de chocantes atrocidades na Ucrânia, supostamente nas mãos de forças russas, amplificar os pedidos para processar acusações de crimes de guerra contra o presidente russo, Vladimir Putin.

Imagens de pelo menos 20 corpos espalhados pela rua em Bucha, Ucrânia, surgiram no fim de semana após a retirada das forças russas da área, levando o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky a pedir o fim dos “crimes de guerra” russos.

E Trubin diz que tem uma mensagem para aqueles que fazem guerra em sua terra natal.

“Venceremos esta guerra e nosso país será mais forte, mais bonito e um dos melhores do mundo”, diz. “Tudo ficará bem.

“É por isso que nos mantemos em forma e continuamos treinando. Queremos nos mudar para o exterior para ter um lugar onde possamos treinar melhor.”

A Ucrânia esteve envolvida no sorteio da Copa do Mundo da semana passada em Doha, no Catar.

Para a Ucrânia participar da Copa do Mundo, ela deve primeiro vencer a Escócia e depois o País de Gales.

O jogo dos playoffs contra a Escócia estava inicialmente programado para 24 de março, mas foi adiado pela Fifa para junho, após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Uma data para a remarcação das eliminatórias ainda não foi anunciada pela Fifa.

 

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN