Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Putin sobre Zelensky: “Ele é uma vergonha para o povo judeu”

    Durante cúpula econômica em San Petersburgo, presidente da Rússia volta a negar as origens judaicas do líder ucraniano e faz alusão às ligações do governo de Kiev com grupos neonazistas 

    Da CNN

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, voltou a alfinetar Volodymyr Zelensky, com declarações que colocam em xeque as origens judaicas do seu homólogo ucraniano. Durante o Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo.

    “Tenho muitos amigos judeus. Eles dizem que Zelensky não é judeu, ele é uma vergonha para o povo judeu”, disse.

    Putin sempre enfatizou uma suposta ligação do governo da Ucrânia com grupos neonazistas. E inclusive utilizou essa retórica para justificar a invasão ao país, iniciada em fevereiro do ano passado. Segundo ele, a “ação militar” seria uma forma de “desnazificar” o país vizinho.

    O presidente da Rússia também falou, durante a cúpula, sobre o desenrolar da guerra. E diz estar confiante no esgotamento de recursos por parte das forças ucranianas. “Em breve, a Ucrânia deixará de usar seu próprio equipamento. Nada resta dele. Tudo com o que eles lutam e tudo o que eles usam é trazido de fora. Você não pode lutar por muito tempo assim.”

    Putin ainda falou sobre o aumento dos gastos russos com defesa: “Hoje, nossas finanças públicas estão geralmente equilibradas, há um pequeno déficit orçamentário federal atual, … Naturalmente, foram necessários recursos adicionais para fortalecer a defesa e a segurança, para comprar armas, somos obrigados a fazer isso para proteger a soberania de nossos país.” 

    O Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, que acontece nesta sexta-feira (16), reúne diversos países que possuem laços econômicos com a Rússia e deve funcionar como uma forma de Putin posicionar o país ante as fortes sanções impostas pelos Estados Unidos e União Europeia. O Kremlin informou que medidas de segurança “sem precedentes” foram tomadas para garantir o sucesso do encontro.

    A agência Tass citou o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, dizendo que as medidas foram necessárias porque “o inimigo age descaradamente”. As autoridades russas culparam a Ucrânia por uma série de ataques de drones, artilharia e bombas em território russo nos últimos meses.

    (Publicado por Fábio Mendes, com informações da CNN e da Reuters)