Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Quem é Fito, criminoso mais procurado do Equador que fugiu de prisão

    Especialista em lavagem de dinheiro, ele fundou o grupo Los Choneros, segundo centro de investigação

    José Adolfo Macías Villamar, conhecido como Fito, criminoso mais procurado do Equador
    José Adolfo Macías Villamar, conhecido como Fito, criminoso mais procurado do Equador Governo do Equador

    Da CNN

    O conflito entre as forças de segurança e o crime organizado no Equador se intensificou nesta semana, após a fuga de Adolfo Macías, conhecido “Fito”, líder de Los Choneros, uma gangue criminosa ligada ao tráfico de drogas, de uma prisão no domingo (7).

    Um dia após a notícia da fuga de Fito, o presidente Daniel Noboa decretou estado de emergência, argumentando que há uma “grave comoção interna” no país.

    Veja abaixo quem é Fito, o criminoso mais procurado do Equador.

    Quem é Fito?

    José Adolfo Macías Villamar, conhecido como Fito, é considerado o líder do grupo criminoso Los Choneros, um cartel de drogas equatoriano.

    Nascido em 30 de setembro de 1979, Fito é o fundador original do Los Choneros, de acordo com o centro de investigação criminal Insight Crime. O órgão também classifica Villamar como um dos “gangsters mais proeminentes do Equador”.

    A Insight Crime acrescenta que Fito opera nas prisões há décadas, destacando que ele é o único membro fundador de Los Choneros que ainda está vivo. Junior Roldán, conhecido como “JR”, o penúltimo dos fundadores sobreviventes da gangue, morreu em maio de 2023.

    Em 11 de fevereiro de 2013, Fito fugiu da prisão de segurança máxima La Roca com outros 17 internos. Ele foi recapturado em 26 de maio daquele ano.

    Segundo arquivo do Ministério do Interior divulgado em abril de 2013, a recompensa oferecida pelas autoridades contra o criminoso era de US$ 100 mil na época.

    Antes da fuga, Fito foi capturado em 2011 e recebeu uma sentença de 34 anos “por uma série de crimes, incluindo homicídios e tráfico de drogas”, diz a Insight Crime.

    A prisão de segurança máxima de La Roca voltou aos holofotes dez anos depois, em agosto de 2023, quando Fito foi transferido para lá como “medida de segurança”. A medida pretendia reduzir a sua influência nas prisões, por exemplo.

    Contudo, em setembro, um juiz ordenou sua transferência de La Roca, em Guayaquil, para a prisão regional na mesma cidade, o que o governo do Equador descreveu como “ultrajante”.

    O centro de pesquisas acrescenta que Adolfo Macías também é especialista em lavagem de dinheiro, atividade que teve relevância em sua carreira criminosa no momento em que se aliou ao “maior traficante de drogas do Equador, Washington Prado Álava, conhecido como ‘Gerald’”.

    Apesar de estar preso, Fito continuou crescendo no domínio de Los Choneros e acabou traçando um plano para derrubar “Gerald”, que cumpre pena de 19 anos nos Estados Unidos, segundo a Insight Crime.

    *com informações de Ana María Cañizares, da CNN

    Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

    versão original