Rainha Elizabeth cancela presença na COP26 após médicos aconselharem ‘descanso’

Seus herdeiros Charles e William ainda devem comparecer, e a monarca deve deixar uma mensagem em vídeo para os delegados

Alastair Grant/Pool via REUTERS

Paul SandleMichael Holdenda Reuters

Londres

Ouvir notícia

A rainha Elizabeth II da Grã-Bretanha cancelou sua presença na conferência COP26 em Glasgow, uma semana após ser aconselhada por médicos a descansar, disse o Palácio de Buckingham, na terça-feira (26), em mais um golpe na cúpula do clima das Nações Unidas.

Uma fonte do palácio disse que a decisão de não comparecer foi tomada como uma “precaução sensata”, e para avisar a todos com antecedência. A rainha continua de bom humor e quer que a COP26 seja um sucesso, acrescentou a fonte.

“Seguindo o conselho para descansar, a Rainha está realizando tarefas leves no Castelo de Windsor“, disse o Palácio de Buckingham.

“Sua Majestade lamentavelmente decidiu que não irá mais viajar a Glasgow para participar da Recepção Noturna da COP26 na segunda-feira, 1º de novembro.”

A rainha de 95 anos, a monarca mais velha e mais duradoura do mundo, passou a noite no hospital na última quarta-feira (20) para “investigações preliminares” de uma doença não especificada, mas não relacionada à Covid-19.

Ela realizou seu primeiro compromisso oficial desde a internação hospitalar na terça-feira, realizando duas audiências virtuais para dar as boas-vindas aos novos embaixadores da Coreia do Sul e Suíça na Grã-Bretanha.

Elizabeth, que é rainha de 15 outros reinos, incluindo Austrália, Canadá e Nova Zelândia, e no próximo ano comemora 70 anos no trono, é conhecida por sua saúde robusta e por ainda desempenhar muitas funções públicas.

A COP26 começa no domingo (31) / Shutterstock

A notícia do cancelamento provavelmente levantará preocupações sobre sua saúde. Recentemente, ela foi ouvida dizendo que estava irritada com líderes mundiais que falam sobre a mudança climática, mas não fazem nada para combatê-la.

A rainha deveria comparecer a um evento noturno na próxima segunda-feira (1) na conferência onde os líderes mundiais se reunirão, incluindo o presidente dos EUA, Joe Biden, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison.

A Grã-Bretanha considerou a conferência climática COP26 das Nações Unidas, que começa em Glasgow em 31 de outubro, a última grande chance de desacelerar o aumento das temperaturas e espera persuadir os líderes a adotarem metas climáticas mais severas.

Johnson disse na segunda-feira que seria “definitivo” se a COP26 terá sucesso em garantir os requisitos necessários para limitar o aumento da temperatura média global a 1,5 grau Celsius acima dos níveis pré-industriais e atingir emissões de carbono zero até 2050.

A rainha fará um discurso aos delegados reunidos por meio de uma mensagem gravada, acrescentou o Palácio. O filho e herdeiro de Elizabeth, o príncipe Charles, e seu filho mais velho, o príncipe William, ainda devem comparecer.

Mais Recentes da CNN