Rainha Elizabeth II faz primeira aparição pública desde o início da pandemia 

Monarca visitou um centro de pesquisa militar

Pedro Teodoro*

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A rainha Elizabeth II fez sua primeira aparição pública, nesta quinta-feira (15), desde o lockdown imposto em março para conter o novo coronavírus no Reino Unido. A monarca de 94 anos visitou um centro de pesquisa militar de Porton Down, no sudoeste da Inglaterra.

A aparição foi ao lado do neto, o príncipe William, sem usar máscaras, embora todos os envolvidos na visita tenham mantido distanciamento. A rainha inaugurou o novo Centro de Análise Energética do laboratório, onde foi feita a demonstração de uma investigação forense de explosivos. 

Durante a viagem, a Elizabeth encontrou-se com militares e cientistas que estão ajudando no combate à pandemia de Covid-19.

Leia e assista também

Pandemia afeta imóveis da rainha, mas contribuintes britânicos irão salvá-la

CNN revela os segredos dos palácios de Elizabeth II

O Laboratório de Ciência e Tecnologia de Defesa, em Porton Down, identificou o agente usado para atacar o ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha Yulia na cidade vizinha de Salisbury, em 2018. A conclusão foi de que se tratava da substancia neurotóxica Novichok. 

A Grã-Bretanha acusou dois agentes russos apoiados pela Rússia de realizar o ataque. O governo russo, no entanto, nega o envenamento. Autoridades russas também são acusadas de usar Novichok para envenenar o opositor em 2018.

Porton Down foi fundado em 1916 como o laboratório de armas químicas e biológicas da Grã-Bretanha. Segundo a Reuters, o laboratório foi palco de um teste secreto realizado por integrantes do Ministério da Defesa envolvendo cerca de 20.000 soldados, levando à morte de um por exposição ao gás sarin nervoso. 

*Sob supervisão de Giovanna Bronze

Mais Recentes da CNN