Rainha Elizabeth II modernizou Império Britânico, diz especialista

Monarca, que completa 70 anos como chefe de Estado do Reino Unido, está ligada ao processo de independência de colônias do país

João Pedro MalarDuda Cambraiada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A rainha Elizabeth II completa neste domingo (6) 70 anos como monarca do Reino Unido, com o maior período de reinado da história do país. Para Renato de Almeida Vieira e Silva, especialista em realeza britânica, nesse período ela acabou representando uma modernização do antigo Império Britânico.

“O papel constitucional da rainha é ser chefe de Estado, e tem uma série de atribuições típicas de um, mas a rainha representa a modernidade do Império Britânico. Quando ela sobe ao trono, o Reino Unido deixa de ser uma nação colonialista e passa a administrar todos os processos de descolonização pelo mundo, tentando manter laços com esses países que se tornaram independentes, e muitos se tornaram repúblicas”, afirmou em entrevista à CNN neste domingo.

Ele afirma que o aniversário de reinado “marca a história”, e que também reforça a importância do papel das rainhas na história do Império Britânico, com mulheres no trono por mais de 175 dos 500 anos do império.

Viera e Silva diz que a monarca soube “manter uma aura, projeção. O trabalho da monarquia partiu muito mais de fora do país para dentro do que apenas para dentro, porque a rainha é a expressão do poder suave. Mesmo o antigo Império, sem a mesma projeção que já teve, se tornou bastante conhecido por ela representar muito bem o seu país em mais de 150 viagens governamentais”.

Segundo ele, o legado que a rainha Elizabeth II deixará “passa pelo senso do dever. Os britânicos gostam muito, está dentro da alma deles, de alguém que exerça muito bem o seu papel, não importa qual, e a rainha não faz feio em nenhum momento, daí o carisma, a projeção. Do ponto de vista de marca, a realeza é a marca mais importante do Reino Unido projetada para o mundo”.

Confira a entrevista na íntegra no vídeo acima.

Mais Recentes da CNN