Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Região espanhola da Catalunha declara emergência por causa da seca

    Medida foi tomada após reservas do sistema hídrico caírem para 16%

    Reservatório da Catalunha atinge nível crític
    Reservatório da Catalunha atinge nível crític Reprodução/ Reuters

    Benjamin Brownda CNNIngrid Formanek

    Cerca de seis milhões de pessoas em mais de 200 cidades e vilas na região nordeste da Catalunha, na Espanha, estão proibidas de lavar carros ou encher piscinas depois que o governo regional declarou estado de emergência nesta quinta-feira (1) por causa da escassez de água causada pela seca.

    O consumo de água nos municípios afetados também será limitado a 200 litros por pessoa por dia, anunciou o governo catalão. As medidas também valem para capital catalã, Barcelona.

    A Catalunha tem enfrentado uma crescente escassez de água nos últimos anos. A atual seca, conhecida como a “pior da história”, já dura mais de três anos.

    As medidas de emergência anunciadastambém limitam o uso da água para fins agrícolas, industriais e recreativos.

    Os agricultores terão de reduzir o uso de água para irrigação em 80%, enquanto a quantidade utilizada para o gado deverá ser reduzida para metade, segundo o governo catalão.

    As reservas no sistema hídrico Ter-Llobregat, composto pelos dois maiores rios da Catalunha, caíram para 16% na quinta-feira, desencadeando o anúncio de emergência, disse o presidente do governo catalão, Pere Aragonès.

    As autoridades da região já tentaram superar a precipitação abaixo da média com várias medidas, incluindo o aumento da utilização de estações de dessalinização que transformam a água do mar em água doce. Mais de metade da água utilizada nas casas catalãs provém agora dessas estações, segundo Aragonès.

    Outras partes da Espanha também enfrentam escassez de água, com algumas cidades na região sul da Andaluzia lidando com a seca após dois anos de pouca chuva e calor extremo.

    Seca na Espanha / Imagem do reservatório de Sau, próximo à igreja da vila de San Roman de Sau, que foi parcialmente submersa e ressurgiu quando o reservatório caiu ao nível mais baixo desde 1990 devido à seca extrema na Catalunha, perto de Vic, Espanha 15/03/2023 REUTERS/Nacho Doce/Foto de arquivo

    Nova realidade

    Estas condições apontam para uma nova realidade em partes da Europa, que está aquecendo duas vezes mais rápido do que a média global.

    Embora seja necessário algum tempo para definir o papel exato que as alterações climáticas estão desempenhando, os cientistas estão certos de que o aquecimento global causado pelo homem está tornando as secas e as ondas de calor mais comuns e mais extremas – colocando uma pressão colossal sobre os recursos hídricos.

    No verão passado, as altas temperaturas tomaram conta de partes da região do Mediterrâneo trazendo um “inferno de calor” que os cientistas dizem que teria sido quase impossível sem as alterações climáticas.

    Também no ano passado, o aquecimento global atingiu 1,48 graus Celsius, segundo dados publicados pela Copernicus — a agência de monitoramento do clima e do tempo da União Europeia. As temperaturas recordes deixaram o mundo a apenas centésimos de grau de um limiar climático crítico.

    Na Catalunha, a CNN relatou anteriormente que os trabalhadores agrícolas foram assolados por reservatórios secos e colheitas desidratadas, à medida que o nível da água caía.