Reitora renuncia após mais de 700 casos de Covid-19 em universidade nos EUA

Unidade de Oneonta da Universidade Estadual de Nova York foi criticada por falta de testes e distanciamento. Universidade nega que surto foi razão da renúncia

Formatura de alunos da unidade de Oneonta da Universidade Estadual de Nova York
Formatura de alunos da unidade de Oneonta da Universidade Estadual de Nova York Foto: Instagram/ Sunyoneonta/ Reprodução

Por Alec Snyder, da CNN

Ouvir notícia

A reitora da unidade de Oneonta da Universidade Estadual de Nova York renunciou nesta semana, em decorrência das centenas de casos de Covid-19 relatados dentro da instituição desde o início do semestre.

Em um comunicado anunciando o novo reitor interino, na quinta-feira, o chanceler da Universidade Estadual de Nova York, Jim Malatras, disse que a Dra. Barbara Jean Morris havia “feito a transição de sua posição como reitora” e que ela queria “buscar outras oportunidades”.

Um porta-voz da universidade disse à CNN que Morris renunciou.

Leia também:
Estados Unidos superam 8 milhões de casos do novo coronavírus

Brasileira casada com o vice-governador da Pensilvânia sofre racismo nos EUA

A universidade relatou 712 casos de estudantes com o novo coronavírus desde a inauguração de conjuntos residenciais universitários em 17 de agosto.

Isso é mais da metade do número total de casos relatados de testes positivos nos campi em todo o sistema da Universidade de Nova York. Houve 1.167 casos positivos relatados em 61 campi diferentes.

O número crescente de casos de vírus levou a unidade de Oneonta a mudar do aprendizado presencial para um formato inteiramente online no final de agosto.

Jim Urso, porta-voz da Universidade de Nova York, comentou sobre a renúncia de Morris.

“O aumento de casos da Covid-19 ocorreu no início de setembro. Só quero esclarecer que a renúncia dela não veio no meio desse aumento”, disse Urso à CNN.

“Ela não renunciou no meio desta crise. Estamos fazendo uma revisão sobre o que aconteceu. Não é como se ela renunciasse no meio da noite, enquanto os alunos testavam positivo às dezenas.”

Universidade não testou os alunos na chegada

A renúncia da reitora em exercício da unidade de Oneonta ocorre depois que a universidade decidiu não testar os alunos ou colocá-los em quarentena na chegada aos campi.

Logo depois, a Universidade observou um aumento nos resultados positivos. Quando a liderança tentou tomar medidas punitivas contra estudantes por desobedecer às ordens de distanciamento social, o vírus já havia se espalhado.

“Reconhecemos que houve vários problemas com a resposta de Oneonta à implementação de seu plano de reabertura no outono”, disse Urso à CNN. “Nosso chanceler reconheceu isso. É um registro público neste momento.”

Jennis Craig, o ex-reitor interino da unidade de Purchase da Universidade de Nova York, que relatou apenas três infecções desde o início do semestre, servirá como reitor interino de Oneonta..

A busca por alguém para ocupar o cargo de forma permanente deve começar em breve.

Eryn Kenney, uma estudante do terceiro ano com especialização dupla em Educação de Adolescentes e Francês na universidade, que mora fora do campus, gostaria que a universidade tivesse feito mais para reduzir a disseminação do Covid-19 no campus.

“Acredito que a reitora deveria ter lidado com Covid-19 muito melhor”, disse Kenney à CNN na sexta-feira. “A maioria das unidades da Universidade de Nova York exigia testes antes do início do semestre. Minha irmã estuda em Plattsburgh e os testes são obrigatórios.”

Kenney disse, ainda, que “também poderia ter havido mais restrições sw distanciamento social”, acrescentando que ela gostaria que a administração tivesse forçado os alunos que moram no campus a realizar uma quarentena quando chegaram, como fizeram algumas outras universidades.

A estudante também reconheceu, porém, o papel que os alunos desempenharam na disseminação que saiu do controle.

“Eu acredito que é em parte culpa [do corpo discente]”, disse ela. “Eu acredito que grande parte da propagação poderia ter sido evitada se os alunos não tivessem festejado ou não tivessem ido a qualquer lugar sem máscaras.”

A Universidade de Nova York em Oneonta tem cerca de 6.700 alunos matriculados, de acordo com seu site.

Mais Recentes da CNN